Congregação dos Lentes

2º ano: João Caetno da Silva
1º ano: Francisco José dos Santos Rodrigues
Lente Substituto: Por Decreto de 27 de novembro de 1847, é aposentado Quintiliano de Mello Souza e Menezes, que era também Capitão Reformado do Corpo Imperial de Engenheiros.
1848Por Portaria, de 11 de março de 1848, é nomeado Lente Substituto da Aula de Comércio Antônio Machado Dias.
1855Decreto nº 1565, de 21 de fevereiro de 1855. Aprova os Estatutos da Sociedade Estatística do Brasil, estabelecida nesta Corte.
– Pelo Artigo 2º dos Estatutos, a Sociedade promoverá o ensino da Economia Política e da Estatística e publicará trimestralmente uma Revista.
– Assinam os Estatutos, datados de 28 de dezembro de 1854, o Marquês de Monte Alegre, Presidente, Bernardo Augusto Nascentes d'Azambuja, 1º Secretário, e Joaquim Antonio d'Azevedo, 2º Secretário.
1856Há notícia de Aula de Comércio no Paraná. - Decisão nº 214 – Império – Agricultura, Comércio e Obras Públicas. Declara quais os vencimentos que competem aos Professores externos do Instituto Comercial do Rio de Janeiro quando incumbidos da regência simultânea de duas ou mais cadeiras.
- É criado o Instituto Comercial do Rio de Janeiro.
1858Há notícia de Aula de Comércio no Rio Grande do Sul.
– Decreto nº 2.116, de 01 de março de 1858. Dá nova organização às Escolas Militares e cria a Escola Central (uma Escola de Engenharia Militar), mais tarde transformada em Escola Politécnica, atual Escola de Engenharia da UFRJ. No currículo do Curso de Matemática, figuram as matérias Cálculo de Probabilidades e das Diferenças Finitas.
1861Reorganização do Instituto Comercial do Rio de Janeiro.
1863Consolidação da Legislação do Instituto Comercial do Rio de Janeiro.
– Estabelecimento de prerrogativas aos portadores de Cartas de Habilitação.
– Decreto nº 3.083, de 28 de abril de 1863. Regulamento para as Escolas Militares do Império, com a inclusão, na Escola Central, no 6º ano, da 2ª cadeira – Economia Política, Estatística e Princípios de Direito Administrativo.
1865As disciplinas dos Cursos de Ciências Sociais das Faculdades de Direito, instituídos pelo Decreto nº 3.454, de 28 de abril de 1865, são praticamente as mesmas que viriam a constituir o Curso Superior de Ciências Econômicas de que trata o Decreto (Legislativo) nº 1.339, de 09 de janeiro de 1905, que oficializou a Academia de Comércio do Rio de Janeiro.
1869Fundação, em 18 de abril de 1869, da Associação dos Guarda-Livros, importante fonte de irradiação do pensamento econômico da época.
1870Decreto nº 4.475, de 18 de janeiro de 1870. Aprova os Estatutos da Associação dos Guarda-Livros da Corte. É o reconhecimento da primeira profissão liberal no Império do Brasil. Os Estatutos prevêem a instituição de cursos de Direito Mercantil e Economia Política, reuniões semanais para discussão de teses sobre assuntos comerciais e economia política, e a publicação de uma Revista.
1875Há notícia de Aula de Comércio em Sergipe.
– Decreto nº 5.600, de 25 de abril de 1874. A Escola Central é transformada em Escola Politécnica. No currículo do Curso de Ciências Físicas e Matemáticas, que segue ao Curso Geral, de dois anos, constam as seguintes matérias:

1º ano:
1ª Cadeira
Série. Funções Elíticas, Continuação do Cálculo Diferencial e Integral, Cálculo das Variações, Cálculo das Diferenças, Cálculo das Probabilidades, Aplicações às Tábuas de Mortalidade nos Problemas Mais Complicados de Juros Compostos; Amortização pelo Sistema Price: aos cálculos das Sociedades denominadas Tontinas e aos Seguros de Vida.

2º ano:
2ª Cadeira
Economia Política;
Direito Administrativo;
Estatística;

Essas matérias são de formação de um Atuário e pode-se dizer que a Escola Politécnica é a pioneira na preparação desse profissional. As cadeiras de Economia Política, Direito Administrativo e Estatística integravam, também, os currículos dos Cursos de Minas e de Artes e Manufaturas.
1875Na Reforma Leoncio de Carvalho, os Cursos de Ciências Sociais passaram a incluir novas disciplinas, aquelas que integrariam as Faculdades de Ciências Econômicas, a partir de 1905: Direito Constitucional; Diplomacia e História dos Tratados; Direito Administrativo; Ciência da Administração; Economia Política; Ciência das Finanças; Contabilidade do Estado.
1879Decreto nº 7.247, de 01 de abril de 1879. Reforma do ensino primário e secundário no Município da Corte e o superior em todo o Império. Pelo artigo 9º, foram incluídas no currículo das Escolas Normais do Estado as disciplinas: Metrologia e Escrituração Mercantil; Princípios de Economia Política.
1880Este ano marca o princípio do fim do primeiro Instituto Comercial do Rio de Janeiro, com seu esvaziamento e aprovação dos últimos Estatutos.
1882Inauguração, em 26 de junho de 1882, do Curso Comercial do Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro.
Brasil – República – período de 1889 a 1931
1889Decreto nº 203, de 09 de março de 1889. Aprova o Regulamento para as Escolas do Exército. Na Escola Superior de Guerra, consta no currículo a 3ª cadeira do 4º ano – Direito Administrativo e Economia Política.
1890Decreto nº 1.703, de novembro de 1890. Aprova os Estatutos da Escola Politécnica (do rio de Janeiro). No Curso Fundamental foi incluída a 3ª cadeira do 4º ano – Economia Política e Finanças.
– Decreto nº 1.075, de 22 de novembro de 1890. Aprova o Regulamento para o Ginásio Nacional (Colégio Pedro II). No currículo escolar conta a 1ª cadeira do 7º ano – Sociologia e Moral – Noções de Direito Pátrio e Economia Política.
1891Decreto nº 1.232-H, de 02 de janeiro de 1891. Aprova o Regulamento das Instituções de Ensino Jurídico, dependentes do Ministério de Instrução Pública. Inclui no currículo escolar:
na 4ª série do Curso de Ciências Jurídicas
3ª Cadeira: Noções de Economia Política e Direito Administrativo;
no Curso de Ciências Sociais
2ª Série – 2ª Cadeira – Economia Política;
3ª Série – 1ª Cadeira – Ciência das Finanças e Contabilidade do Estado.
– Decreto nº 1.258, de 10 de janeiro de 1891. Aprova o Regulamento da Escola de Minas (Ouro Preto). Inclui no currículo do curso fundamental:
4º ano – 3ª Cadeira – Economia e Finanças.
1894É criado o Instituto Comercial, o segundo com o mesmo nome, mantido pela Prefeitura do Distrito Federal (atual cidade do Rio de Janeiro), após a extinção, em 1881, do Instituto Comercial do Rio de Janeiro. Regulamento (Estado de São Paulo) baixado pelo Decreto nº 270, de 20 de novembro de 1894. É reformado o ensino na Escola Politécnica de São Paulo, sendo instituído o diploma de Contador para os alunos que terminassem o Curso Geral, com duração de um ano.
1895Regulamento (Estado de São Paulo) baixado pelo Decreto nº 485, de setembro de 1895. É mantido na Escola Politécnica de São Paulo, o curso de Contador, a cargo do Professor Horácio Berlinck.
– A Oficina Tipográfica do Instituto Profissional (Vila Isabel) divulga o Programa de Ensino do Instituto Comercial mantido pela Prefeitura do Distrito Federal, opúsculo encontrado na Biblioteca Nacional.
190Extinção do Instituto Comercial da Capital Federal.
1902Os ex-alunos do Instituto Comercial são autorizados a concluir o curso no Pedgogium.
– Extinção da Academia de Comércio de Juiz de Fora.
– Fundação da Academia de Comércio, do Rio de Janeiro, em 02 de junho de 1902, e da Escola Prática de Comércio.
1903Fundação do Instituto Comercial (da Capital Federal) em 02 de abril de 1903.
1905O Liceu Coração de Jesus, em São Paulo, instala o seu Curso Comercial, sob a direção do Pe. José Zappa.
– Fundação da Escola Comercial da Bahia.
1910Reconhecimento oficial da Academia de Comércio de Pelotas.
1916Reconhecimento oficial das seguintes Escolas: Escola Superior de Comércio, da Capital Federal; Escola de Comércio de Porto Alegre, a primeira a integrar uma Universidade, hoje