Cronologia Histórica

Brasil-Colônia – período de 1500 – 1815
1807Projeto de Academia de Economia. José Maria Dantas Pereira, matemático português, Professor e Diretor Comandane da Academia de Marinha em rascunhos cuja autoria lhe é atribuída, propõe a unificação de cinco Academias, existentes em Lisboa, até 1807, a serem instaladas no Brasil, numa só instituição, que se chamaria Academia Militar, Náutica e Econômica. Se esse plano fosse concretizado, seria a primeira universidade brasileira e, ao mesmo tempo, ter-se-ia instalado em nosso País a primeira Faculdade de Economia do mundo (Fonte: Arquivo Geral da Marinha, Caixa 142, 176/177)
1809Alvará , com força de lei, de 15 de junho de 1809. Entre outras providências, prevê o estabelecimento de Aulas de Comércio, que é o marco do Ensino Comercial no Brasil.
– Nesse mesmo ano, o Príncipe Regente D. João autoriza o funcionamento da Aula de Comércio da Corte, na cidade do Rio de Janeiro.
1810Em 23 de janeiro de 1810, José Antonio Lisboa é nomeado Lente da Aula de Comércio da Corte, sendo assim o primeiro Professor de Contabilidade no Brasil.
– Carta de Lei, de 04 de dezembro de 1810. É fundada, no Rio de Janeiro, a Academia Real Militar, onde mais tarde (1858) funcionaria uma Escola de Engenharia, com o nome de Escola Central, precursora da Escola Politécnica, atual Escola de Engenharia do Rio de Janeiro. O currículo da Academia incluía a matéria Cálculo das Probabilidades e dela teriam saído os primeiro Atuários do Brasil.
1811Abertura da Aula de Comércio do Maranhão, que funcionou, na sua primeira fase, até fevereiro de 1820.
1812Edital de Concurso para lugares, para as Aulas de Comércio a se estabelecerem na Bahia e Pernambuco, em observância do Alvará de 15 de julho de 1809.
– Foram afixados editais em Lisboa, em 15 de dezembro de 1812 e 18 de março de 1813, pela Real Junta do Comércio, Agricultura, Fábricas e Navegação (Correio Braziliense, 1813, vol. Nº 59, pág. 398).
1813Provável início de funcionamento da Aula de Comércio na Bahia e em Pernambuco.
Brasil – Reino Unido – período de 1815 a 1822
1815“Plano de huma Aula de Commercio, Theoria e Practica, para a educação da mocidade que se quizer empregar no Commercio, nesta cidade da Bahia”, por Euzebio Vanerio (Arqyuvo Nacional).
1816Plano de 10—09-1816 para estabelecer Aulas de Comércio em Pernambuco, apresentado por Manoel Luís da Veiga (Arquivo Nacional).
1818Decisão nº 9 – Reino, de 06 de maio de 1818. Ordena que não se proponha sujeito algum para Oficial Real Erário sem que tenha estudos da Aula de Comércio.
Brasil – Primeiro Império – período de 1822 a 1834
Brasil – Segundo Império – período de 1834 a 1889
1823Lei de 23 de outubro de 1823. Aumenta o número de disciplinas da Academia Real Militar e permite o estudo conjunto de paisanos e militares. O currículo do curso inclui a matéria de Cálculo das Probabilidades, básica na formação de Atuários.
1827Decreto de 11 de agosto de 1827. Institui as Faculdades de Direito de Olinda e São Paulo, onde a Economia Política passaria a integrar o currículo escolar a partir de 1829.
1830Há notícia de implantação da Aula de Comércio na Paraíba.
1831Por concurso, Estevão Rafael de Carvalho, é nomeado Professor da Aula de Comércio da cidade do Maranhão. Esse Professor possuía o Curso de Matemática da Universidade de Coimbra e escreveu, em 1837, a obra pioneira de Contabilidade no Brasil, Metafísica da Contabilidade.
- Lei de 15 de novembro de 1831. Autoriza o Governo a reformar o sistema de estudos da Academia Real Militar, com a anexação da Academia de Guarda-Marinhas, passando, por Decreto de 9 de março de 1832, a denominar-se Academia Imperial Militar. O currículo do Curso de Artilharia, Engenharia Militar e Estado Maior inclui a matéria de Cálculo das Probabilidades.
1833Há notícia, no Rio de Janeiro, da continuidade do funcionamento da Aula de Comércio da Corte.
1834Há notícia do funcionamento da Aula de Comércio da Bahia.
1835Estatuto de 07 de março de 1835. Aula de Comércio da Corte, mantida pela Secretaria do Tribunal da Real Junta de Comércio, Agricultura, Fábricas e Navegação.
1837Há notícia do funcionamento da Aula de Comércio em Pernambuco.
1838Reforma do currículo da Aula de Comércio da Corte, no Rio de Janeiro, quando o curso, de duração de 3 anos, é reduzido para 2 anos.
– É criado, pela Lei (da Província do Maranhão) nº 77, de 24 de junho de 1838, o Liceu Maranhense, sendo a lei sancionada por Vicente Tomaz Pires de Figueiredo Camargo, quando a cadeira de Estevão Rafael de Carvalho passou a fazer parte do Curso de Comércio daquele estabelecimento.
1839Há notícia da implantação da Aula de Comércio do Pará.
- A Imperial Academia Militar passa a denominar-se de Escola Militar da Corte, sendo aprovados novos Estatutos. No currículo do Curso de Artilharia, Engenharia Militar e Estado Maior consta a matéria Cálculo das Probabilidades.
1846Parecer de 17 de janeiro de 1846, de José Antonio Lisboa, sobre a criação da Escola Central de Comércio. A expressão Central tem significado de Escola Superior e de Nacional ou Federal, usada no período republicano para as Escolas e Faculdades. Os Estatutos de 06 de junho de 1846 da Aula de Comércio estão conforme o manuscrito existente no Arquivo Nacional – Seção Histórica – Caixa 459. Os Lentes Substitutos da Aula de Comércio são admitidos mediante concurso, constante das seguintes disciplinas: Aritmética, Geometria e Álgebra; Geografia Geral, Geografia Comercial e Geografia do Brasil; Economia Política; Direito Comercial; Prática das Principais Operações e Atos Comerciais; e Arte de Arrumação dos Livros.
1847Aula de Comércio da Corte funciona com a seguinte composição: Inspetor: Conselheiro Diogo Soares Rodrigues.