Melhor artigo da Revista Brasileira de Contabilidade em 2013 receberá Prêmio

O Prêmio Olivio Koliver, que tem por objetivo fomentar a produção e a disseminação do conhecimento na área contábil, irá premiar, nos próximos meses, o melhor artigo publicado na Revista Brasileira de Contabilidade (RBC) durante o ano de 2013. Até o próximo dia 15 de agosto, a banca examinadora, instituída pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC), irá escolher o melhor trabalho da RBC. A entrega do Prêmio será feita ao autor (ou autores) durante reunião Plenária ordinária do CFC a ser definida em breve. Criado pelo CFC – instituição responsável pela edição da revista técnico-científica, uma das mais tradicionais da área –, o Prêmio foi lançado em julho do ano passado, durante VIII Encontro Nacional de Coordenadores e Professores do Curso de Ciências Contábeis, realizado em Porto Alegre-RS, terra onde nasceu e viveu o professor Olivio Koliver, considerado um dos maiores expoentes brasileiros no ensino de Ciências Contábeis. Koliver morreu em 2009. Conforme definido no regulamento do Prêmio Olivio Koliver, seis artigos foram submetidos à avaliação da banca examinadora. Essa seleção foi feita por meio de nota atribuída pelos membros do Conselho Editorial da revista aos 32 artigos publicados, em 2013, nas edições bimensais da RBC. Os trabalhos com as maiores notas estão sendo, agora, analisados pela banca, e os seus autores foram comunicados sobre essa seleção prévia. A banca examinadora do Prêmio foi instituída pela Portaria CFC nº 191/14 e conta com os seguintes professores doutores: Jacqueline Veneroso Alves da Cunha (Minas Gerais), José Elias Feres de Almeida (Espírito Santo), Romualdo Douglas Colauto (PR), Vera Maria Rodrigues Pontes (Ceará) e Fábio Moraes da Costa (SP). A coordenação do trabalho está a cargo de Jacqueline. O Conselho Editorial da RBC, que atribuiu as notas aos artigos de 2013, possuía a seguinte composição: Jacqueline Veneroso Alves da Cunha (coordenadora), Aldo Leonardo Cunha Callado, Antonio Carlos Dias Coelho, Emanoel Marcos Lima, Ernani Ott, José Elias Feres de Almeida, Manoel Raimundo Santana Farias, Márcio Luiz Borinelli, Milanez Silva de Souza, Ricardo Luiz Wust Corrêa de Lyra, Gardênia Maria Braga de Carvalho, Marisa Luciana Schwabe de Morais e Tânia Moura da Silva.

Fonte: Comunicação CFC

CRCRS apoia o 5º Seminário Ampliando Horizontes

O presidente do CRCRS, Antônio Palácios, e o vice-presidente de Relações Institucionais do CRCRS, Pedro Gabril Kenne da Silva, prestigiaram, em 21 de julho, o 5º Seminário Ampliando Horizontes – curso Educando para a Transparência, uma realização da ONG Parceiros Voluntários.

Nesta 5ª edição, participaram 118 organizações sociais, dessas 97 eram do Rio Grande do Sul.

ONG

Em seu pronunciamento de abertura do evento, a presidente da ONG Parceiros Voluntários, Maria Helena Pereira Johannpeter, afirmou que as organizações, os projetos sociais, que não têm valores, transparência e nem gestão, simplesmente passam, sem deixar marcas. Uma boa gestão é fundamental.

 

Escritórios de Contabilidade em família na pauta do Contabilidade em Debate

O programa Contabilidade em Debate desta semana (21 a 27 de julho) estará discutindo as organizações contábeis familiares. Participam do programa a psiquiatra e coach em Gestão, Elaine Martin, e a contadora Rosana Spellmeier. Apresentação é de Luciano Biehl. Para acompanhar, basta acessar www.crcrs.org.br, Comunicação – Rádio CRCRS, às 11h30, 13h30 e 18h30.

Contab. em Debate

 

Delegado da Receita Federal participa de plenária

Em 18 de julho, o delegado da Receita Federal, Alexandre Rampelotto, aceitou o convite do presidente do CRCRS, Antônio Palácios, para participar da plenária, a fim de conversar com os conselheiros, expôr as dificuldades e ações que estão sendo incrementadas para agilizar e tonar, cada vez mais, eficiente os serviços prestados pela Receita Federal.plenária

plenária

Alexandre Rampelotto e Antônio Palácios

 

Aprovada ampliação do Supersimples a todo o setor de serviços

O Plenário do Senado aprovou, nesta quarta-feira (16), projeto de lei que universaliza o acesso do setor de serviços ao Simples Nacional (Supersimples), regime de tributação simplificado para micro e pequenas empresas (PLC 60/2014). A proposta vai à sanção presidencial. De autoria do deputado Vaz de Lima (PSDB-SP), a proposta cria uma nova tabela para serviços, com alíquotas que variam de 16,93% a 22,45%. Com o acesso geral, entram no regime de tributação, por exemplo, serviços relacionados à advocacia, à corretagem e à medicina, odontologia e psicologia. A nova tabela criada pelo projeto entrará em vigor em 1º de janeiro do ano seguinte ao da publicação da futura lei. O texto atribui ao Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN) a função de disciplinar o acesso do microempreendedor individual (MEI) e das micro e pequenas empresas a documento fiscal eletrônico por meio do portal do Simples Nacional e também estende a outras empresas facilidades já previstas no Estatuto da Micro e Pequena Empresa (Lei Complementar 123/2006). O presidente do Senado, Renan Calheiros, ressaltou as vantagens da universalização do Simples para outros setores da economia.

– Além de incentivar a pequena empresa, estende a outras categorias de prestadores de serviço os benefícios desse regime de tributação diferenciado – disse.

Novo enquadramento

Empresas produtoras de refrigerantes, águas saborizadas gaseificadas e preparações compostas não alcoólicas poderão optar pelo Supersimples. O Plenário manteve ainda mudança feita na Câmara em relação ao enquadramento de algumas atividades de serviços, como fisioterapia e corretagem de seguros, que passam da tabela de maior valor (tabela seis), criada pelo projeto, para a tabela três, de menor valor dentre as do setor de serviço. Já os serviços advocatícios são incluídos na tabela quatro; e os decorrentes de atividade intelectual, de natureza técnica, científica, desportiva, artística ou cultural e a corretagem de imóveis são enquadrados na tabela três. O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) afirmou que a mudança trará reflexos positivos para a economia do país. Eduardo Suplicy (PT-SP) lembrou que o processo de negociação começou no Senado.

Facilidades

Ao dar o parecer de Plenário sobre a proposta, o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) destacou o papel das micro e pequenas empresas, responsáveis por mais de 80% dos empregos formais do país.

– O Brasil necessita de instrumentos que contribuam para a desburocratização, a simplificação de tributos e a facilidade de abrir e encerrar um negócio. Para todas as empresas que se enquadrem como micro (receita bruta até R$ 360 mil ao ano) ou pequena empresa (acima de R$ 360 mil e até R$ 3,6 milhões) e não optem ou não possam optar por esse regime especial de tributação, o projeto estende várias facilidades existentes na lei. A estimativa é de beneficiar 2 milhões de empresas. Entre as facilidades estão prioridade em licitações públicas, acesso a linhas de crédito, simplificação das relações de trabalho, regras diferenciadas de acesso à Justiça e participação em programas de estímulo à inovação.

Substituição tributária

Com o fim da chamada substituição tributária para alguns setores, prevista no projeto, as secretarias de Fazenda estaduais não poderão mais aplicar o mecanismo de recolhimento antecipado da alíquota cheia do ICMS pelas empresas, cujo repasse ocorre para os compradores do produto. A substituição tributária dificulta a competição das micro e pequenas empresas porque elas, muitas vezes, compram produtos que vêm com o ICMS embutido no preço, pagando pelo imposto antes mesmo de vender ou usar o produto, diminuindo sua competitividade em relação a outras empresas não optantes pelo Simples Nacional. Entre os setores que continuam com substituição tributária estão combustíveis; cigarros; farinha de trigo; produtos farmacêuticos, de perfumaria e de toucador; produtos de higiene; autopeças; produtos cerâmicos; sabão em pó e todos os serviços sujeitos atualmente a esse mecanismo. No caso, por exemplo, de bebidas não alcoólicas, produtos de padaria, molhos, telhas ou detergentes, o projeto prevê que a substituição tributária será aplicada somente se a produção for em escala industrial relevante, segundo definição que caberá ao Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN). Para Armando Monteiro (PTB-PE), além da redução da burocracia, a iniciativa disciplina a prática abusiva da substituição tributária, que penalizava cerca de 900 mil empresas.

– É alívio, sobretudo, para o consumidor, com a redução dos preços pela diminuição da carga tributária que hoje incide sobre as pequenas empresas – argumentou.

Transporte

Para o setor de transporte intermunicipal ou interestadual, atualmente proibido de participar do Supersimples, é aberta uma exceção para permitir o recolhimento simplificado quando o serviço tiver características de transporte urbano ou metropolitano ou, ainda, atuar por meio de fretamento para o transporte de estudantes ou trabalhadores.

Mercado de capitais

As micro e pequenas empresas poderão também recorrer ao mercado de capitais para obter recursos necessários ao desenvolvimento ou à expansão de suas atividades, segundo normatização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Também poderão receber recursos financeiros de pessoas físicas e jurídicas, incluindo sociedades anônimas e fundos de investimento privados.

Link: http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2014/07/16/aprovada-ampliacao-do-supersimples-a-todo-o-setor-de-servicos

Fonte: Senado Federal

CRCRS e ADVB parceiras no projeto de implantação de Observatório Social na Capital

O vice-presidente de Relações Institucionais do CRCRS, Pedro Gabril Kenne da Silva, em visita ao presidente da ADVB (Associação dos Dirigentes de Marketing e Vendas do Brasil), Carlos Biedermann, em 15 de julho, solicitou apoio ao projeto de criação do Observatório Social de Porto Alegre. Na ocasião, Gabril fez uma breve explanação sobre o surgimento e a funcionamento dos Observatórios Sociais, que já existem cinco cidades do Estado (Lajeado, Santa Maria, Cruz Alta, Erechim e Pelotas). Biedermann confessou ser um entusiasta do assunto e considerou o projeto de implantar um Observatório Social em Porto Alegre oportuno e de extrema importância.

Biedermann

Pedro Gabril Kenne da Silva e Carlos Biedermann

CRCRS recebe menção honrosa

O vice-presidente de Relações Institucionais do CRCRS, Pedro Gabril Kenne da Silva, recebeu, em 15 de julho, das mãos do presidente da Assembleia Legislativa do RS, Gilmar Sossella, o cerificado de menção honrosa pela participação e colaboração no Prêmio de Responsabilidade Social, que está em sua 15ª edição. Foram premiadas as 14 entidades que compõem a Comissão Mista do Prêmio, cuja presidência está a cargo da contadora Simone Imperatore, integrante da Comissão de Estudos de Responsabilidade Social do CRCRS.

AL

Simone Imperatore, presidente da Comissão Mista do Prêmio de Responsabilidade Social, Gilmar Sossella, presidente da Assembleia Legislativa do RS, e Pedro Gabril Kenne da Silva, vice-presidente de Relações Institucionais do CRCRS.

AL

Representantes das 14 entidades participantes da Comissão Mista do Prêmio de Responsabilidade Social foram homenageados, na manhã do dia 15 de julho, na Assembleia Legislativa do Estado.

 

As inscrições para esta edição do Prêmio de Responsabilidade Social vão até 31 de julho. Podem participar empresas privadas, sociedade cooperativas, organizações governamentais, prefeituras, instituições de ensino e entidades sem fins lucrativos. Informações em www.al.rs.gov.br.

Seminário de Assuntos Contábeis de São Leopoldo leva mais de 140 pessoas ao auditório do Sindimetal

DSC_0042

Mais de 140 pessoas, entre profissionais da Contabilidade e estudantes do Vale do Sinos, lotaram o auditório do Sindimental, durante o dia de 11 de julho, para a realização do Seminário de Assuntos Contábeis de São Leopoldo. O evento, promovido pelo CRCRS, visa capacitar os Contadores e Técnicos em Contabilidade e contribuir para a formação dos acadêmicos de Ciências Contábeis e contou com a participação de diversas autoridades locais e regionais, entre elas o secretário da Fazenda de São Leopoldo, Gilso Gotardo, que representou o prefeito Anibal da Silva.

Gotardo destacou o papel dos profissionais da Contabilidade para o desenvolvimento do município

Gotardo destacou o papel dos profissionais da Contabilidade para o desenvolvimento do município

O presidente do CRCRS, Antônio Palácios, durante seu pronunciamento, enfatizou a importância da aproximação entre o Conselho e os profissionais contábeis.

"Os seminários são ocasiões de atualização e capacitação profissional, mas, também, são oportunidades para que os Contadores e Técnicos em Contabilidade possam conhecer melhor o trabalho e as funções do CRCRS", comentou Palácios.

“Os seminários são ocasiões de atualização e capacitação profissional, mas, também, são oportunidades para que os Contadores e Técnicos em Contabilidade possam conhecer melhor o trabalho e as funções do CRCRS”, comentou Palácios.

Também fizeram uso da palavra o delegado regional do CRCRS em São Leopoldo, José Tadeu Jacoby, o ex-delegado de São Leopoldo, Marcos Leandro Cerveira e o diretor-executivo do Sindimetal, Valmir Pizutti, representando o presidente da entidade, Raul Heller.

Logo após a solenidade de abertura, presidente, vice-presidentes e delegados do CRCRS reuniram-se com autoridades da região para explicar aos presentes os projetos integrantes do Programa de Voluntariado da Classe Contábil. No encontro, foi dado ênfase ao projeto de implantação de Observatórios Sociais, considerados por Palácios como a ferramenta mais eficiente para o controle do gasto público e para o auxílio à gestão pública.

Logo após a solenidade de abertura, presidente, vice-presidentes e delegados do CRCRS reuniram-se com autoridades da região para explicar aos presentes os projetos integrantes do Programa de Voluntariado da Classe Contábil. No encontro, foi dado ênfase ao projeto de implantação de Observatórios Sociais, considerados por Palácios como a ferramenta mais eficiente para o controle do gasto público e para o auxílio à gestão pública.

Na primeira palestra da manhã, a consultora da Lefisc nas áreas trabalhista e previdenciária, Eliane Valcam, esclareceu aos presentes questões relacionadas ao eSocial.

Na primeira palestra da manhã, a consultora da Lefisc nas áreas trabalhista e previdenciária, Eliane Valcam, esclareceu aos presentes questões relacionadas ao eSocial.

Logo após, o advogado e professor universitário, Marcelo Zampieri, falou sobre holding patrimonial como planejamento sucessório e contábil.

Logo após, o advogado e professor universitário, Marcelo Zampieri, falou sobre holding patrimonial como planejamento sucessório e contábil.

Após o intervalo para almoço, o consultor Márcio Mâncio realizou palestra motivacional abordando ações que fazem a diferença no sucesso da profissão.

Após o intervalo para almoço, o consultor Márcio Mâncio realizou palestra motivacional abordando ações que fazem a diferença no sucesso da profissão.

A última palestra do evento foi sobre a Contabilidade na Era Digital, apresentada pelo Técnico em Contabilidade, conselheiro do CRCRS e integrante da Comissão de Estudos de Tecnologia da Informação do Conselho, Ricardo Kerkhoff.

A última palestra do evento foi sobre a Contabilidade na Era Digital, apresentada pelo Técnico em Contabilidade, conselheiro do CRCRS e integrante da Comissão de Estudos de Tecnologia da Informação do Conselho, Ricardo Kerkhoff.

 

 

CRCRS solicita retificação de mais editais de concursos públicos

Desta vez, a solicitação de retificação de editais efetuada pelo CRCRS diz respeito aos concursos públicos  do Tribunal de Contas do Estado do RS e da Secretaria de Fazenda do Estado do RS, em função de que para o provimento dos cargos de Auditor Público Externo, Nível III-Classe A, Bacharel em Ciências Contábeis – CO3, e de Auditor Fiscal da Receita Estadual, não constava a exigência de comprovação de registro no Conselho de Contabilidade, conforme está previsto na Lei Estadual nº 14.540/2014. O CRCRS já havia se manifestado sobre esse fato por ocasião da publicação dos editais de concursos públicos dos municípios de Colorado e Ibirapuitã, que, em resposta, alteraram seus respectivos editais.

Ainda no sentido de fazer com que a referida Lei Estadual seja cumprida, recentemente (9/7), o CRCRS, o CRA/RS e o Corecon/RS enviaram ofício à Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público Estadual, solicitando providências em relação ao edital da Secretaria da Administração e dos Recursos Humanos que, por meio da Fundação de Desenvolvimento de Recursos Humanos, promoveu concurso público para o cargo de Assessor Administrativo em sua especialidade: Administração, Gestão Pública, Contabilidade e Economia, exigindo apenas o diploma de bacharel em cada uma das profissões e para Gestão Pública, qualquer bacharelado, não constando a exigência de registro nos respectivos Conselhos de Profissões Regulamentadas.