Compensa/RS discute compensação com precatórios

Fruto de parceria entre CRCRS e Sescon-RS, com apoio da Procuradoria Geral do Estado e Receita Estadual do RS, foi realizado, na tarde desta quarta-feira (18/7), o “COMPENSA/RS: Programa de Compensação de Dívida Ativa com Precatórios do Rio Grande do Sul”, no auditório do Sescon-RS, em Porto Alegre. O vice-presidente de Gestão do CRCRS, Ricardo Kerkhoff, e o vice-presidente Administrativo do Sescon-RS, Flávio Dondoni Jr, fizeram a abertura do evento.IMG_3504_EDITADAIMG_3500_EDITADA

“Programa de Compensação de Débitos com Precatórios”, foi o tema abordado pelas procuradoras do Estado Natália Fantoni e Patrícia Messa.IMG_3527_EDITADA

Os auditores-fiscais da Receita Estadual Mário Palma e Edison Ethur trataram sobre Operacionalização do Sistema para Pedidos de Compensação com Precatórios.IMG_3552_EDITADA

Na segunda parte, a plateia participou do painel de perguntas, mediado pelo diretor do Sescon-RS, Wanderson Garcia, e pelo coordenador da Comissão de Estudos das Organizações Contábeis do CRCRS, Rodrigo Kich.IMG_3607_EDITADA

Presidentes do CFC e CRCRS cumprem intensa agenda em Santa Maria

Em 18 de julho, Santa Maria esteve imersa em Contabilidade. Os presidentes do CFC, Zulmir Breda, e do CRCRS, Ana Tércia L. Rodrigues, estiveram em Santa Maria para uma intensa programação. Ao meio-dia, participaram de uma reunião-almoço com empresários e autoridades, promovido pelo Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria. A discussão girou em torno da “Crise moral e financeira do País e a perspectiva econômica para pequenas e médias empresas”.

DSC_0087 Na ocasião, também se manifestaram o presidente do Sescon-RS, Célio Lebandovski, e o secretário municipal de Desenvolvimento, Everton Falki.

Ainda presentes ao evento,o vice-presidente de Fiscalização do CRCRS, Paulo Comazzetto, a delegada regional do CRCRS em Santa Maria, Simone Zanon; presidentes da Associação dos Profissionais da Contabilidade, Marco Aurélio Veleda, e do Sincotec, Luiz Carlos de Oliveira, além do coordenador do Fórum das Entidades

O presidente do CFC falou dos cenários político e econômico atuais. Enfatizou o cidadão não deve se omitir diante das situações e problemas que se apresentam. Afirmou que a classe contábil está empenhada em colaborar nas mudanças necessárias para o melhoramento do País. Lembrou que “honestidade de propósito” é fundamental em tudo e em todos.

DSC_0142

A presidente Ana Tércia, reforçou a ideia de que os profissionais da contabilidade têm muito a contribuir com a Nação, com seu conhecimento técnico.

Na ocasião, também se manifestaram o presidente do Sescon-RS, Célio Lebandovski, e o secretário municipal de Desenvolvimento, Everton Falki.

DSC_0186

DSC_0187

Ainda presentes ao evento,o vice-presidente de Fiscalização do CRCRS, Paulo Comazzetto, a delegada regional do CRCRS em Santa Maria, Simone Zanon; presidentes da Associação dos Profissionais da Contabilidade, Marco Aurélio Veleda, e do Sincotec, Luiz Carlos de Oliveira, além do coordenador do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria, Souvenir Machado.

Seminário com as Faculdades e Universidades

À tarde, os presidentes do CRCRS, Ana Tércia L. Rodrigues, e do CFC, Zulmir Breda, falam aos estudantes e professores de Ciências Contábeis de Santa Maria, dentro do Seminário com as Faculdades e Universidades, que ocorre no Espaço Contábil-Região Centro. O tema proposto para discussão é “A interdisciplinaridade e a integração da academia e do mercado de trabalho”. A coordenação está a cargo do vice-presidente Paulo Comazzetto.

DSC_0249

DSC_0268

CRC & Você

Em prosseguimento a programação prevista, em Santa Maria, o dia de eventos termina com o CRC & Você. O auditório do Espaço Contábil ficou lotado de profissionais da contabilidade de Santa Maria e região, que bateram um papo descontraído com os presidentes do CRCRS, Ana Tércia L. Rodrigues, e do CFC, Zulmir Breda, que contou com a presença do presidente do Sescon-RS, Célio Levandovski. Na pauta, assuntos variados, que incluem aspectos da profissão, projetos e propósitos de gestão. O momento também proporcionou solicitar esclarecimentos, dar sugestões e opiniões.

DSC_0356

DSC_0377 DSC_0363

Espaço Contábil de Santa Maria

Espaço Contábil é um local, que abriga em um único prédio, em Santa Maria, quatro entidades: Escritório Regional do CRCRS, Sincotec – Santa Maria, Associação dos Profissionais da Contabilidade e Sescon-RS.

DSC_0002

CRCRS e TRE-RS estreitando relações

Em 16 de julho, a Presidente Ana Tércia L. Rodrigues esteve com o presidente do TRE-RS, Desembargador Jorge Luis Dall’Agnol, em visita de caráter institucional. Aproveitando a oportunidade, foi tratada também da possibilidade de estruturar, em parceria, um evento sobre prestação de contas eleitorais e financiamento de campanha.
Participaram também da reunião, o coordenador da Comissão de Estudos de Organizações Contábeis do CRCRS e membro da Comissão Técnica do CFC, Rodrigo Kich, e o diretor-adjunto João Victor Oliveira; o gerente de Projeto de Contas Eleitorais do TRE, Cristiano Aguiar, o chefe de Contas Eleitorais e Partidárias, Luciano Dias, e o secretário de Controle Interno e Auditoria, Herbert Dias Miranda.

TRE

Luciano Dias, Cristiano Aguiar, Herbert Miranda, Jorge Luis Dall’Agnol, Ana Tércia L. Rodrigues, Rodrigo Kich e João Victor Oliveira

Perícia contábil é tema de fórum

DSC_0014

Mais um evento exitoso, fruto da parceria CRCRS e Sescon-RS, foi realizado em 13 de julho. Trata-se do Fórum de Perícia Contábil, que contou com uma expressiva participação de profissionais da contabilidade, que lotaram o auditório do Sescon-RS e auditório auxiliar, onde foi colocado um telão.

A presidente Ana Tércia L. Rodrigues, em sua manifestação de abertura, enfatizou os resultados positivos obtidos a partir da parceria firmada entre o CRCRS e o Sescon-RS para a realização de eventos.

perícia

Da mesma forma, Marcelo Vidal, diretor de Educação do Sescon-RS, reafirmou a importância da parceria entre as entidades, no sentido de colaborar com a atualização e ampliação do conhecimento dos profissionais da contabilidade.

DSC_0005

Os “Desafios da especialização profissional em perícia contábil”, foi o tema abordado pelo contador Paulo Cordeiro de Mello, integrante da comissão responsável pela criação do Cadastro Nacional de Peritos Contábeis.

DSC_0063

Paulo Cordeiro de Mello

Cordeiro de Mello lembrou que com a criação dos cadastros de peritos pelos tribunais de justiça e do cadastro de peritos contábeis pelo Sistema CFC/CRCs, além do impacto do aumento da distribuição de processos digitais, amplia-se a possibilidade de realização de trabalhos pelos profissionais atuantes em perícia contábil. O palestrante expôs algumas propostas que chamou de desafios: atuar apenas em perícia contábil ou em assistência técnica X atuar tanto em perícia contábil quanto em assistência técnica; realizar trabalhos da mesma área de especialização X realiar trabalhos de diferentes áreas de especialização.

DSC_0076

Eduardo Boniolo

Já o contador Eduardo Boniolo enfocou as perícias em falência e recuperação judicial como oportunidades de mercado. Falou detalhadamente sobre o processo de recuperação judicial; do papel de Auxiliar do Juízo na Perícia Prévia de Constatação, na verificação dos crédito, na fiscalização das atividades e Assembleia Geral dos Credores; assim como do papel do Auxiliar das Empresas.

Boniolo salienta a importância da presença do perito na Assembleia Geral dos Credores.

Para o palestrante, o profissional mais apto e mais qualificado para atuar em falência e em recuperação judicial é o contador, pelo conhecimento e fundamentação técnica.

Os dois palestrantes, ao final do evento, respondem às perguntas enviadas via whatsapp. Para mediar o painel, foram convidados o coordenador da Comissão de Estudos de Perícia Contábil do CRCRS, Mártin Spelmeier, e o conselheiro fiscal do Sescon-RS, Eduardo Sinigaglia.

O evento foi transmitido on-line.

DSC_0091

XXXII Encontro Nacional de Estudantes de Ciências Contábeis

Este ano, Porto Alegre sediará o XXXII Encontro Nacional de Estudantes de Ciências Contábeis (ENECIC), o maior evento de estudantes de contabilidade do país. O encontro ocorre anualmente desde 1986, cada vez em um estado diferente, e tem por objetivo promover a discussão no ambiente da graduação sobre temas atinentes à atuação do profissional na Contabilidade e seus diversos ramos, alterações na legislação, temas contemporâneos, ética e princípios contábeis, além da valorização do profissional contábil.
O XXXII ENECIC ocorrerá na Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, entre 26 e 29 de julho, e as inscrições podem ser feitas através do site oficial. O evento conta com apoio do CRCRS e terá a presença de entidades representativas, como CRCRS, CRC Jovem, Ibracon, Observatório Social do Brasil (Porto Alegre), além ministrantes com vasta experiência e reconhecimento na área. A programação do evento conta com palestras, minicursos, workshops e saídas de campo para Tribunal de Contas do Estado, abordando temas contemporâneos, como Criptomoedas, SPED contábil, E-Social, novo relatório do auditor, Novo CPC e perícia, e temas relevantes para a formação do contador, como  Análise de Demonstrações Contábeis e Mercado Financeiro, Startups, Tecnologias digitais e novos modelos de negócios contábeis, independência da auditoria externa, Controladoria, Educação e Cidadania Fiscal, Transparência e muito mais!
As inscrições estão sendo realizadas através do site do evento https://enecic.com.br/ e para quem é da região metropolita, o ingresso Científico está com desconto 30%. Mais informações podem ser solicitadas através do e-mail enecicpoa@gmail.com.
Fonte: Comissão Organizadora

XXXII ENECIC – Porto Alegre/RS

CRCRS prestigia projeto sustentável – Ecobarreira

Na manhã de 13 de julho, a presidente Ana Tércia L. Rodrigues participou da inauguração do “lixômetro”, que faz parte do Projeto Ecobarreira, desenvolvido pelo Instituto Safeweb, cujo objetivo é exibir a quantidade de lixo recolhido no Arroio Dilúvio. O presidente do Instituto Safeweb, Luiz Carlos Zancanella Júnior é o coordenador do projeto, iniciado em 2016, que já retirou mais de 400 toneladas de lixo do arroio.
Prestigiaram o evento, secretários municipais e estaduais, vereadores e demais autoridades.

DSC_0005

Luiz Carlos Zancanella, Ana Tércia L. Rodrigues, Luiz Carlos Zancanella Júnior

DSC_0036

Luiz Carlos Zancanella, Ana Tércia L. Rodrigues, Walter Nagelstein – presidente da Câmara de Vereadores

DSC_0018 DSC_0033

lixômetro

Ana Tércia L. Rodrigues, Márcio Bins Ely – vereador

DSC_0041

Ana Tércia L. Rodrigues, Karim Miskulin – diretora da Revista Voto

CFC – 180 dias de Gestão

Divulgado na segunda-feira (9), o relatório traz os resultados de ações que contemplam a melhoria do ambiente regulatório, o Programa de Educação Continuada, o fortalecimento das parcerias e iniciativas para reforçar o interesse social do trabalho do profissional da Contabilidade, entre outros.

Outro ponto de merecido destaque refere-se à Inteligência Artificial. “É um caminho sem volta e a profissão contábil pode contribuir e aprender muito com essa que é considerada a Quarta Revolução Industrial. Não é necessário pensar muito para entender que os tempos modernos já ditaram o perfil do mercado de trabalho daqui pra frente”, disse o presidente do CFC, Zulmir Breda, no início da gestão.

Para ler a íntegra do relatório, clique aqui<http://cfc.org.br/wp-content/uploads/2018/07/gestao_180dias.pdf>.

Fonte: Comunicação CFC

Solenidade marca o lançamento do 13º Seminário Sincovat

A presidente do CRCRS, Ana Tércia L. Rodrigues, os vice-presidentes Elaine Strehl, Juliano Adabie e Mário Kist, juntamente com os delegados delegados regionais Claudir Kuhn, de Estrela, e Gustavo Luiz Schnoremberger, de Teutônia, autoridades, convidados e imprensa prestigiaram (10) o lançamento do 13º Seminário Sincovat. A solenidade ocorreu na sede do Sindicato dos Contadores e Técnicos em Contabilidade do Vale do Taquari, que junto com a Associação das Empresas de Serviços Contábeis do Vale do Taquari (Aescon) promovem o evento no dia 31 de agosto no Teatro Univates.  

Na abertura, os hinos Nacional e do Rio Grande do Sul foram tocados pelos jovens do Programa Adolescente Legal com Música, da Alsepro de Lajeado.

Assim como em 2015, quando cerca de 1,7 mil pessoas acompanharam o Seminário, o tema desta edição está focado na Educação. O slogan “A ação maior da Educação é despertar valores internos” busca convocar a todos para um debate urgente, com discussões sérias e fundamentadas. “Vamos evidenciar a influência direta e indireta dessa temática no dia a dia do público, buscando envolvê-lo para direcioná-lo à ação”, destacou o coordenador do Seminário e vice-presidente do Sincovat, Rodrigo Kich. Ele também aproveitou para agradecer os apoiadores e patrocinadores. “Entendemos que estamos resgatando o fato de que a Ciência Contábil é uma Ciência Social. Mas para que consigamos promover um evento dessa magnitude, é necessária a união de vários entes”, afirmou. São eles: Sicredi Vale do Taquari (patrocinador diamante); Univates, Mondial Veículos, Gioia Degasperi, Jornal O Informativo do Vale, Jornal A Hora, Grupo Independente e Rota Indústria Gráfica (patrocinadores ouro); Domínio, Geradores do Vale, Hotel Locatelli, Supermercado STR Lajeado, Naturetto Produtos Naturais e Divine Chocolates (patrocinadores prata); Certel Energia, Emagresee Lajeado e Lidera Informática (apoiadores); e CRCRS, Sescon RS e Prefeitura de Lajeado (apoiadores institucionais).

Sincovat

Presidente do Sincovat Cíntia Fortes, coordenador do evento Rodrigo Kich e presidente da Aescon Claudir Kuhn na apresentação do banner do evento.
Foto: Simone Rockenbach

Presidente do Sincovat, Cíntia Fortes salientou os objetivos do evento. “Estamos propondo a reflexão sobre as nossas atitudes, acertos e erros, buscando fazer algo pela sociedade e garantir um futuro melhor para as próximas gerações. E temos certeza de que estamos no caminho certo”. O mérito da escolha do tema foi salientado pela presidente do CRCRS, Ana Tércia Rodrigues. “O Sincovat já está há algum tempo na era da multidisciplinaridade, ou seja, se queremos uma profissão melhor, temos que ver que outros fatores compõem essa equação que faça com que cada empresa receba um colaborador melhor, para que o resultado seja percebido pelo cliente. Tudo passa pela educação”, reforçou. Na mesma linha, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Agricultura de Lajeado, André Bücker, comentou sua surpresa com a temática e elogiou: “Imaginava que seria um evento técnico, para aperfeiçoamento dos associados, mas está acima disso. Porque quem investe em educação está investindo na melhoria do nosso país”.

Sincovat - 10 de julho

Ana Tércia L. Rodrigues, presidente do CRCRS

A vice-presidente regional do Sescon RS, Roberta Salvini, falou do orgulho de ter participado da trajetória do Seminário, desde a segunda edição, e hoje presenciar sua dimensão e pujança. Ela ainda valorizou a educação e seus profissionais, lembrando que todos, indiferente da escolha profissional, passaram pelas mãos de professores e a formação das suas famílias. “Que esses valores que se constroem nas famílias e escolas possam ao longo do tempo transformar a sociedade. Que possamos resgatar princípios e valores, começando cada um de nós fazer a nossa parte. É fácil reclamar, mas vamos resgatar os nossos valores internos e sermos nós o início da transformação que essa sociedade tanto precisa”. Também presente, o presidente da Federação dos contadores e Técnicos em Contabilistas do Rio Grande do Sul, Glicério Bergesch, parabenizou a comissão organizadora e já antecipou que a entidade estadual fará sua reunião com sindicatos e diretoria na véspera do Seminário, dia 30 de agosto, em Lajeado.

13º Sem. Sincovat

Programação

Quem abrirá a programação do 13º Seminário Sincovat será o biólogo e cientista, naturoterapeuta, técnico em saúde pública e autor do livro Curas Extraordinárias, Tiago Rocha, o qual conquistou prestígio em mais de 50 países por alertar as pessoas sobre os piores e os melhores alimentos do mundo. Ainda na parte da manhã, também ocorre a explanação do professor, escritor e neurocientista Pedro Calabrez, reconhecido por sua carreira em ciências cognitivas aplicadas ao comportamento humano e criador de um dos primeiros cursos de Neurociências Aplicadas aos Negócios do Brasil.

Coordenando o Programa de Inovação e Liderança em Currículo, Aprendizagem e Avaliação do Escritório Internacional de Educação da UNESCO em Genebra, na Suíça, o sociólogo e mestre em Educação, Renato Opertti, é autor de numerosos estudos sobre questões de política social, pobreza e educação, temas que ele abordará durante sua participação no evento. Completando a lista de atrações, a psicoterapeuta e escritora italiana, doutora em Filosofia, especialista em Psicologia com abordagem Ontopsicológica junto à Universidade Estatal de São Petersburgo (Rússia), Margherita Carotenuto.

Mais informações e inscrições através do site www.seminariodosincovat.com.br .

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sincovat – Simone Rockenbach

Artigo: Nosso avanço nas questões de governança irreversível

“Uma gestão mais eficiente, que tenha como foco o compromisso com a ética e a transparência, tem se tornado cada vez mais relevante no mundo atual. Os novos tempos demandam a criação de mecanismos eficientes de gestão, representados por sistemas de monitoramento e de incentivos, que denotam a adoção de práticas de governança.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), as linhas mestras das boas práticas de governança corporativa estão relacionadas às seguintes dimensões: prestação de contas (accountability), transparência (disclosure), equidade (fairness) e responsabilidade corporativa na conformidade com as regras (compliance). É interessante lembrarmos que os termos “governança” e “gestão” não são sinônimos, embora sejam complementares e interdependentes. Governança se refere à definição do que deve ser executado enquanto gestão se refere à forma como se executa.

A moderna administração pública vem incorporando gradativamente os modelos de governança desde muito tempo empregados nas empresas privadas, fazendo nascer uma nova modelagem de gestão pública batizada por diversos autores como a “New Public Governance” ou nova governança pública. Alinhado com essa tendência global, o Tribunal de Contas da União, em boa hora, passou a adotar essa linha de orientação teórica, consubstanciada no Acordão nº 2622, de 2015, de aplicação cogente aos Conselhos de Profissões Regulamentadas no Brasil.

O Conselho Federal de Contabilidade (CFC) instituiu, pela Portaria nº 235, de dezembro de 2016, a Comissão de Gestão da Governança Corporativa, cumprindo a orientação do TCU. Desde então, várias ações foram realizadas em prol da instauração dos processos e estruturas a fim de melhor informar, dirigir, administrar e monitorar as suas atividades, visando alcançar seus objetivos.

Delineando a trajetória do desenvolvimento e implementação da governança no CFC, a primeira ação realizada condiz à elaboração do Código de Conduta. Esse código foi instituído pela Resolução CFC n.º 1.523/2017 e estabelece os ditames acerca do comportamento humano, que envolve, basicamente, preceitos éticos que os conselheiros, colaboradores e funcionários dos Conselhos Federal e Regionais de Contabilidade preservam, respeitam e praticam rotineiramente.

Posteriormente, como segunda ação, foi estabelecida a Política de Gestão de Riscos, por meio da Resolução CFC n.º 1.528/2017, que trata de aspectos fundamentais para a boa governança. A gestão de riscos permite tratar com eficiência as incertezas, possibilitando um melhor aproveitamento das oportunidades juntamente com a redução de possíveis impactos de eventos negativos, sendo evidente a sua importância quanto à eficácia e à melhoria do desempenho organizacional. Cabe mencionar que essa política observa recomendações das melhores práticas internacionais, como o Committee of Sponsoring Organizations of the Treadway Commission/ Enterprise Risk Management – Integrated Framework (Coso/ERM) e a Norma Técnica ABNT NBR ISO 31000:2009 Gestão de riscos – Princípios e Diretrizes.

De forma a complementar essa política, foi instituído o Plano de Gestão de Riscos por meio da Resolução CFC n.º 1.532/2017. Esse plano traz o detalhamento da implantação da gestão de riscos, orientando as unidades organizacionais do CFC quanto aos procedimentos a serem adotados. Devemos destacar que o Plano de Gestão de Riscos veio para aprimorar o planejamento e a execução de programas, projetos e processos do CFC, à medida que atua de forma preventiva na supressão de possíveis perdas.

A instituição da Carta de Serviços ao Usuário corresponde à terceira ação realizada por meio da Resolução CFC n.º 1.529/2017. Conforme as recomendações do TCU, essa carta tem o objetivo de fornecer informações à sociedade sobre as atividades realizadas pela entidade, promovendo maior visibilidade ao trabalho que é desenvolvido em prol da profissão contábil. Podemos inferir que essa ação veio consolidar e fortalecer essa esfera da comunicação, já que o Conselho dispunha do sistema “Portal da Transparência e Acesso à Informação”, desde 2014.

A quarta ação se refere ao Plano Anual de Contratações do CFC, instituído pela Portaria CFC n.º 147/2017. Esse plano proporciona melhorias quanto ao planejamento efetivo de aquisições e contratações, auxiliando no processo de medir e avaliar as despesas programadas relativas a cada exercício, facilitando as decisões da alta administração, nessa esfera.

Propondo avaliar o desempenho recente da implantação desses novos instrumentos, o TCU realizou o “Levantamento de Governança e Gestão Públicas” referente ao ano de 2017, publicado por meio do Acórdão 588/2018 – TCU – Plenário. Esse Relatório individual da autoavaliação traz aspectos referentes à governança pública, gestão de pessoas, gestão de TI, gestão de contratações e governança sobre resultados.

Os resultados estão apresentados de modo comparativo às médias dos agrupamentos por tipo, por segmento ao qual o CFC pertence e em relação ao total. Foram 488 entidades participantes, sendo 26 do tipo conselhos profissionais e 41 pertencentes ao Terceiro Setor. As médias das avaliações variam entre 0 e 100%.

O resultado geral da autoavaliação do CFC mostra que seu desempenho é expressivamente superior quando comparado às médias dos agrupamentos aos quais se insere. O índice integrado de governança e gestão públicas (IGG), composto dos índices de governança pública (iGovPub), de capacidade em gestão de pessoas (GestãoPessoas), de capacidade em gestão de TI (GestãoTI) e de capacidade em gestão de contratos (GestãoContrat), obteve avaliação de 75%. Quanto ao desempenho individual, o índice de governança pública apresenta o melhor desempenho enquanto a gestão de TI apresenta o índice mais baixo.

Na busca de ressaltar os pontos positivos e, também, os que necessitam de maior atenção, mencionamos alguns aspectos específicos de cada categoria. O índice de governança pública obteve desempenho acima de 75% em seus três subíndices – liderança, estratégia e accountability –, com destaque para o primeiro, que ficou próximo a 100%. Salientamos que o desempenho nesse quesito se apresenta bem acima dos agrupamentos “Conselhos Profissionais” e “Terceiro Setor”, que obtiveram desempenho entre 25 e 50%.

No que se refere ao índice de capacidade de gestão de pessoas, doze de seus dezesseis subíndices apresentaram desempenho superior a 75%, sendo que nove chegaram a 100%. Este índice se relaciona a um conjunto de diretrizes e estruturas organizacionais, que visam assegurar que as decisões e as ações relativas à gestão de pessoas estejam alinhadas às necessidades da organização. Dentre os quatro que obtiveram resultado menor, destaca-se o subíndice que se refere a “definir adequadamente a demanda por colaboradores e gestores”, que obteve média semelhante aos outros agrupamentos.

Quanto à governança de TI, os resultados são positivos em relação ao modelo de gestão e o monitoramento estabelecido. Por outro lado, as questões referentes à auditoria de TI, que se baseiam em relatórios de trabalho avaliativos necessitam de maior atenção, já que apresentam ausência de desempenho. O índice de capacidade de gestão corrobora esses resultados, já que apresenta desempenho inferior a 50% para os quesitos referentes aos processos e resultados organizacionais. Fornecendo maiores detalhes, quando analisamos os subíndices relacionados à gestão do nível de serviço e de segurança de tecnologia da informação, o desempenho é baixo e inferior aos outros subgrupos.

O índice de governança e gestão em contratações apresenta um bom desempenho, bem acima inclusive dos outros agrupamentos. A governança das aquisições compreende o conjunto de mecanismos de liderança, estratégia e controle que buscam avaliar a atuação da gestão das aquisições. Dos cinco subíndices que o compõem, apenas um está abaixo de 75%, que diz respeito à capacidade de gestão de processos de contratação. O índice de governança em contratações corrobora essa performance, já que obteve desempenho próximo a 100%.

O último indicador – sobre a capacidade em resultados organizacionais – apresentou um desempenho abaixo de 50%. Esse índice se relaciona à prestação de serviços públicos com qualidade e eficiência, de modo particular, aqueles prestados em meio digital. Esse comportamento pode estar relacionado ao baixo percentual alcançado por dois de seus cinco subíndices. Esses indicadores se referem à elaboração e à divulgação da Carta de Serviços ao Cidadão e à organização de pesquisa de satisfação dos usuários dos serviços digitais.

Apesar de serem passos iniciados muito recentemente, é possível verificarmos um bom andamento quanto à implantação da governança. Muitos dos indicadores analisados apresentam desempenho superior quando comparados aos outros agrupamentos do segmento, o que evidencia o diferencial no processo de gestão e liderança do CFC.

Tendo em vista que muitas ações iniciaram no final de 2017 e início de 2018, podemos constatar que, com base nesses resultados, o ambiente torna-se facilitador para o desenvolvimento das boas práticas de governança. Os poucos indicadores que não apresentaram boa performance provavelmente estão ligados às ações que iniciaram, de fato, no ano de 2018, como, por exemplo, o Plano de Gestão de Riscos e a Carta de Serviços ao Cidadão.

Sendo assim, as expectativas positivas são fortalecidas por esses resultados, e tudo indica que este ano será de avanços promissores, principalmente no tocante à disseminação das ações e procedimentos aos Conselhos Regionais de Contabilidade. Sem dúvida, todo esse processo busca sintonia com as exigências de uma sociedade em constante transformação, em que os pilares da ética e da transparência tomam o papel de protagonistas, e a adoção de modernas práticas de gestão pública torna-se um processo irreversível”.

Zulmir Ivânio Breda, presidente do Conselho Federal de Contabilidade