Webinar debate “Estágio e extensão no contexto das novas diretrizes curriculares”

O CRCRS, por meio da Comissão de Estudos de Acompanhamento da Área do Ensino Superior, debateu, em 26 de julho, questões relevantes sobre a extensão curricular como diferencial na formação de contadores. O webinar “Estágio e extensão no contexto das diretrizes curriculares” contou com palestras das integrantes da Comissão, professoras universitárias Eusélia Paveglio Vieira e Wendy Haddad Carraro, e a moderação ficou a cargo do professor Clóvis Antonio Kronbauer, coordenador da Comissão. O evento foi transmitido e permanece disponível na TV CRCRS, canal do Conselho no YouTube.

Na abertura, o moderador, professor Clóvis Kronbauer, ressaltou que o curso de Ciências Contábeis vive um momento bastante especial. A iminência da aprovação de novas diretrizes curriculares para a graduação marca a mais ampla e abrangente discussão sobre a matriz curricular, desde a sua criação, em 1945. Nesse contexto, foi realizada uma audiência pública, pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC), em 24 de maio, em torno da minuta propositiva de alteração da Resolução CNES/CES nº 10, de 16 de dezembro de 2004, que instituiu as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação de Ciências Contábeis, bacharelado, que guia as Instituições de Ensino Superior.

A professora Eusélia Paveglio Vieira, apresentou um comparativo entre a Resolução CNES/CES nº 10/2004 – segundo a qual nem o estágio supervisionado nem o trabalho de conclusão de curso são obrigatórios – e a proposta de alteração da matriz curricular encaminhada pelo CFC por meio da Resolução nº 1.640/2021, que propõe que o estágio supervisionado se torne obrigatório e o trabalho de conclusão de curso seja opcional.

De acordo com a professora, foram mais de cem páginas de contribuições de coordenadores de cursos de Ciências Contábeis, professores e demais profissionais envolvidos nesse processo, com grande diversidade de opiniões sobre vários tópicos. Entretanto, em relação ao estágio curricular, a maioria dos participantes se mostrou favorável a que o estágio seja opcional.

“Entre as observações encaminhadas pelos participantes, há sugestões muito importantes que devem ser examinadas como: se o estágio for obrigatório, que seja, pelo menos, a partir do quarto período e que seja disponibilizado pelas instituições de ensino. Entre outros pontos discutidos, também estão a preocupação com a eventual baixa valorização por parte das empresas ao contratar estagiários e que as práticas contábeis de laboratório sejam validadas como estágio”, destacou a professora.

Na sequência, a professora Wendy Carraro abriu sua palestra lembrando que, no próximo dia 4 de novembro, a área acadêmica de Ciências Contábeis tem uma agenda imperdível: o Encontro Estadual de Coordenadores e Professores, que acontecerá em Porto Alegre, na Universidade Federal do RS (UFRGS).

Baseada na ideia de que ensino, pesquisa e extensão são os pilares da educação, a professora Wendy Carraro defendeu a importância da extensão como uma ponte entre o ensino e a pesquisa.

“É muito importante que haja um contato do aluno com a prática, para a troca de saberes. Não é simplesmente só receber algo. Quando me perguntam o que é extensão, eu digo que é levar meus alunos para o mundo real, colocá-los em contato com empresas e trazer isso para dentro da sala de aula”, considerou Wendy Carraro.

A integra do webinar  “Estágio e extensão no contexto das diretrizes curriculares” está disponível na TV CRCRS, canal do YouTube. Clique e confira!

 

 

 

 

 

Projeto Conexão Contábil leva informação a todas as regiões do País

O Conselho Federal de Contabilidade idealizou o evento Conexão Contábil com o  objetivo de levar informação e proporcionar o debates sobre temas atuais com palestrantes de reconhecido conhecido nos respectivos assuntos. Durante este ano, todas as regiões do País receberão o Conexão Contábil.

O evento já foi realizado nas regiões:

  • Nordeste, em Teresina (PI), nos dias 11 e 12 de maio
  • Sudeste, em Vitória (ES), nos dias 27 e 28 de julho
  • Norte, em Manaus (AM), nos dias 27 e 28 de setembro
  • Sul, em Curitiba (PR), nos dias 30 e 31 de agosto
  • Centro-Oeste, em  Campo Grande (MS), nos dias 14 e 15 de dezembro

Habilidades e competências necessárias aos contadores são apresentadas no Conexão Contábil

A primeira palestra do segundo dia do Conexão Contábil Sudeste tratou das habilidades e competências do profissional da contabilidade na visão do mercado. O evento acontece nos dias 27 e 28 de julho e reúne mais de mil participantes, em Vitória (ES), no modelo presencial, e pela plataforma Zoom e pelo canal do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) no YouTube, na modalidade digital.

Para falar sobre o assunto, estiveram presentes no painel, o diretor de finanças, estratégia e riscos e tecnologia da informação da ArcelorMittal Brasil, Paulo Wanick, o CEO da Fucape Business School, Valcemiro Nossa, e a presidente da Academia Brasileira de Ciências Contábeis (Abracicon) e ex-presidente do CFC, Maria Clara Bugarim. O presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo (CRCSP), José Aparecido Maion, foi o moderador da apresentação.

Wanick iniciou a sua participação destacando a sua visão sobre a posição dos profissionais da contabilidade no mercado. “Ao nosso ver, o profissional da contabilidade está inserido dentro de um mundo de finanças. Eu costumo dizer que finanças é a língua dos negócios e a contabilidade é a gramática. Para você ter um bom entendimento do negócio, precisa entender de finanças, que é ainda mais abrangente que a Contabilidade, mas, se não falarmos a língua certa, não conseguimos nos comunicar direito, fazer [algo] bem compreendido, e passar uma mensagem adequada para o mercado, para os administradores, para os acionistas, para os demais stakeholders de uma organização e para o mercado de capitais de uma maneira geral”, contextualizou.

O palestrante explicou que os estudantes de Ciências Contábeis, assim como os profissionais já formados, devem ter uma visão mais ampla. “O profissional e o estudante de contabilidade, a meu ver, no meu julgamento, devem ampliar os seus horizontes, sair um pouquinho da caixa somente Contabilidade, olhar um pouquinho mais o espectro da organização, do entendimento do que é uma organização, de como essa organização deve funcionar, quais são os grandes atributos, qualidades, os diferenciais competitivos, as estratégias, os riscos e, entendo isso, terão condições de ascensão, de penetração maior, de empregabilidade”, afirmou.

O representante da ArcelorMittal apresentou algumas pesquisas internacionais e falou sobre tendências disruptivas globais no pré-pandemia que poderiam desafiar e/ou impactar as áreas de finanças e o mercado. Wanick ainda apresentou algumas orientações sobre como essas situações poderiam ser enfrentados pelos departamentos de finanças, que incluem a Contabilidade, assim como as formas de atuação desses profissionais e as competências necessárias àqueles que atuam nessa área, que podem ser diferenciais competitivos.

A apresentação, o olhar e os conceitos de Valcemiro Nossa estavam alinhados com as visões de Wanick. O representante da Fucape destacou os impactos dos avanços tecnológicos e a relevância de o profissional estar preparado para analisar outros aspectos que envolvem a organização. “Tenho que olhar muito a estratégia como um todo, onde que aquela contabilização, mensuração, geração de informação vão ser úteis em algum momento. Se temos um olhar ‘maior’ em relação ao negócio em si, mais utilidade eu consigo dar aos números contábeis”, pontuou.

Dando continuidade, refletiu com o público sobre os impactos da internacionalização, do avanço tecnológico e das mudanças no mercado de trabalho na formação dos futuros profissionais da contabilidade e sobre a necessidade de reformulação dos currículos.

Maria Clara Bugarim iniciou a sua participação destacando que, para estarem aptos ao exercício profissional, os contadores precisam de uma formação sólida e alinhada com as necessidades do mercado.

A presidente da Abracicon expôs ao público a proposta de reforma curricular do curso de Ciências Contábeis, o qual a contadora disse estar “antenada” com as demandas do mercado de trabalho. Bugarim é coordenadora indicada pelo CFC para esse projeto e apresentou aos participantes o desenrolar das atividades, as motivações para a alteração das diretrizes curriculares e os pontos contemplados no documento produzido. A palestrante ressaltou as expectativas em relação ao desenvolvimento da Contabilidade no país. “Queremos, sim, proteger a nossa profissão. Queremos, sim, disponibilizar para o mercado e para as empresas esse profissional apto”, enfatizou.

O Conexão Contábil é um espaço para a promoção da Educação Profissional Continuada, composto de uma série de eventos, realizados gratuitamente e no formato híbrido, com pontuação no Programa de Educação Profissional Continuada (PEPC) do CFC. A iniciativa é organizada pelo Sistema CFC/CRCs e voltado para discussões sobre o futuro e o desenvolvimento da Contabilidade.

Para assistir à palestra, clique aqui.

Por Lorena Molter – Comunicação CFC

Conexão Contábil Sudeste discute a governança pública e seus mecanismos

Os pilares e a necessidade de ela ser considerada uma política pública foram os assuntos debatidos entre os contadores

Conexão Contábil está sendo realizado em Vitória, capital do Espírito Santo, nesta quarta (27) e quinta-feira (28). O encontro gratuito reúne contadores da região Sudeste do país no formato híbrido.

“É uma conexão de ideias, pessoas, entidades e estados, onde vamos conectar experiências, desafios e oportunidades para nós profissionais da contabilidade. Também vamos falar sobre ESG. Os contadores precisam abraçar essas causas”, afirmou em seu discurso o presidente do Conselho Federal de Contabilidade, Aécio Prado Dantas Júnior.

O evento trouxe uma pauta diversificada e relevante para os participantes discutirem, como: Habilidade e competências do profissional da contabilidade na visão do mercado; A fiscalização como instrumento de proteção da sociedade; Criptoativos e metaverso; Desafios e inovações para a classe contábil na prestação de contas do processo eleitoral; e a adoção da ESG nas empresas de pequeno e médio porte e o papel primordial do profissional da contabilidade.

E o painel do primeiro dia teve como tema “Fundamentos da governança pública e seus mecanismos”. O palestrante foi o auditor de controle externo do Tribunal de Contas da União, Luis Afonso Gomes Vieira. Os pilares da governança e a necessidade de ela ser considerada uma política pública, foram os principais assuntos discutidos com os participantes.

“A governança pública é um tema muito importante para a gente tratar em um ano eleitoral. Falar em governança é falar em serviço público e os contadores têm um papel fundamental nisso, como controladores”, disse a coordenadora do painel, Maria Clara Bugarim.

O Conexão Contábil é composto de uma série de eventos regionalizados, promovidos de forma híbrida, gratuitamente, organizado pelo Sistema CFC/CRCs e voltado para discussões sobre o futuro e o desenvolvimento da Contabilidade.O próximo reunirá os estados do Sul e será realizado nos dias 30 e 31 de agosto em Curitiba.

Por Agência Apex – Site CFC

Parceria das entidades contábeis é reforçada em abertura do Conexão Contábil Sudeste

Nesta quarta-feira (27), foi iniciado o Conexão Contábil edição Sudeste. O evento é gratuito e acontece de forma híbrida. A parte presencial está sendo realizada em Vitória (ES), já, na modalidade digital, os inscritos acompanham ao encontro pela plataforma Zoom. Os demais interessados podem assistir a todas as palestras por meio do canal do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) no YouTube. A inciativa vai até o dia 28 de julho e reúne 1.100 pessoas.

Durante a abertura das atividades, a presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Espírito Santo (CRCES), Carla Tasso, falou que estava alegre e emocionada por poder sediar um evento nacional do Sistema CFC/CRCs. A contadora ainda destacou a importância dos profissionais da contabilidade para a sociedade e a postura que deve ser seguida pela classe. “Nós que somos essenciais em todas as áreas e para toda a sociedade precisamos fortalecer essa postura de profissional fundamental, mas que visa o ser humano como base para o desenvolvimento de qualquer relação, que, seja com os clientes, com o mercado ou com o cidadão deve sempre ter empatia, reciprocidade e confiança, pois a certeza que tenho hoje, 27 de julho de 2022, é que juntos somos mais fortes e podemos conquistar muito mais vitórias”, afirmou.

O novo presidente da Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Fenacon), Daniel Mesquita Coêlho, também marcou presença no Conexão Contábil. O contador ressaltou o foco da Federação na união das entidades da classe. “Esse tema Conexão Contábil é justamente o que nós queremos para as entidades contábeis: essa conexão de harmonia, de transparência, de trabalho em conjunto. Isso que nós vamos buscar nos próximos quatro anos que teremos pela frente”, pontuou.

A presidente da Academia Brasileira de Ciências Contábeis (Abracicon), coordenadora da Comissão Nacional de Educação Contábil do CFC e ex-presidente da Conselho, Maria Clara Bugarim, também celebrou a integração entre as entidades contábeis. “Quero agradecer, em nome da nossa Academia, a confiança que o Conselho Federal depositou em nós, de podermos estar na organização desse evento que é tão importante. Esse encontro traz a ideia da conexão, das entidades contábeis congraçadas de mãos dadas trabalhando juntas para o fortalecimento da nossa profissão”, disse.

O presidente do CFC, Aécio Dantas, fechou os discursos reforçando a necessidade da união das forças para que novas conquistas sejam alcançadas na profissão. “Este evento é uma conexão de ideias, de pessoas, de entidades, de estado, em que nós iremos conectar experiências e conhecimentos alinhados com os desafios e oportunidades da nossa profissão”, ressaltou.

A cerimônia de abertura ainda contou com a participação da presidente da Fundação Brasileira de Contabilidade (FBC), Sandra Elvira Santiago, do ex-presidente do CFC, José Martonio, e do presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Espírito Santo (Sinduscon-ES), Paulo Baraona.

O Conexão Contábil é um espaço para a promoção da Educação Profissional Continuada, composto de uma série de eventos, realizados gratuitamente e no formato híbrido, com pontuação no Programa de Educação Profissional Continuada (PEPC) do CFC. A iniciativa é organizada pelo Sistema CFC/CRCs e voltado para discussões sobre o futuro e o desenvolvimento da Contabilidade.

Para assistir ao Conexão Contábil, clique aqui.

Por Lorena Molter – Comunicação CFC

Prazo para o envio de justificativas pelo não cumprimento de pontuação no PEPC vai até 19 de agosto

A data limite para o envio das justificativas pelo não cumprimento de pontuação exigida no PEPC é dia 19 agosto. O Edital EPC n.° 1, de 15 de julho de 2022, que traz a orientação, foi publicado do Diário Oficial da União (DOU) de 20 de julho.

O Conselho Federal de Contabilidade (CFC) orienta que essas justificativas devem ser enviadas diretamente ao Conselho Regional de Contabilidade (CRC) da jurisdição do registro principal do profissional. O material deve ser encaminhado aos cuidados da área de Desenvolvimento Profissional do respectivo CRC. Vale lembrar que, para o exercício 2021, a pontuação mínima exigida no PEPC foi de 20 pontos, em função da pandemia da covid-19 e da necessidade de cumprimento da limitação na circulação de pessoas e do isolamento social.

Aqueles que não enviarem as justificativas dentro do prazo determinado ou tiverem as suas justificativas indeferidas terão a inscrição no Cadastro Nacional de Auditores Independentes (CNAI) e no Cadastro Nacional de Peritos Contábeis (CNPC), se for o caso, baixada. Também haverá o encaminhamento do fato para a Fiscalização dos CRCs, para a abertura de processo ético disciplinar para os profissionais enquadrados no item 4, da NBC PG 12 (R3).

Veja, a seguir, quem são os profissionais que devem enviar as justificativas:

I- Profissionais inscritos no CNAI-CFC, exercendo, ou não, a atividade de auditoria independente, com registro ativo até 31/12/2020.

II- Os inscritos no CNPC-CFC, até 31/12/2020.

III- Os sócios, exercendo, ou não, atividade de auditoria independente, responsáveis técnicos e demais profissionais que exerçam cargos de direção ou gerência técnica, nas firmas de auditoria registradas na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

IV- Os profissionais que exerçam a atividade de auditoria independente nas instituições financeiras e nas demais entidades autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil (BCB), na função de responsável técnico, diretor, gerente, supervisor e qualquer outro integrante, com função de gerência, da equipe envolvida nos trabalhos de auditoria.

V- Os profissionais que exercem atividades de auditoria independente nas sociedades seguradoras, resseguradoras, de capitalização, nas entidades abertas de previdência complementar reguladas pela Superintendência de Seguros Privados (Susep).

VI- Os profissionais que exercem atividades de auditoria independente como sócio, responsável técnico ou em cargo de direção ou gerência técnica de firmas de auditoria e de demais organizações contábeis que tenham explicitamente em seu objeto social a previsão de atividade de auditoria independente.

VII – Os profissionais que sejam responsáveis técnicos pelas demonstrações contábeis, ou que exerçam funções de gerência/chefia no processo de elaboração das demonstrações contábeis das empresas, reguladas e/ou supervisionadas pela CVM, pelo BCB, pela Susep, pela Previc, e, ainda, das sociedades consideradas de grande porte nos termos da Lei n.º 11.638/2007.

VIII- Os profissionais responsáveis técnicos pelas demonstrações contábeis das sociedades e das entidades de direito privado com ou sem finalidade de lucros que tiverem, no exercício social anterior, receita total, igual ou superior a R$78 milhões.

XIX- Os profissionais responsáveis técnicos pelas demonstrações contábeis, ou que exerçam funções de gerência/chefia no processo de elaboração das demonstrações contábeis das empresas reguladas e/ou supervisionadas pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc).

O CFC esclarece que não se responsabilizará por justificativas não recebidas por motivos de ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação, congestionamento das linhas de comunicação, ou quaisquer fatores que impossibilitem a transferência de dados.

Para ler a publicação, clique aqui.

Fonte: Comunicação CFC

Receita Federal divulga prazo para envio da DITR 2022

O prazo para apresentação da declaração de ITR 2022 começa no dia 15 de agosto e encerra às 23h59min59s do dia 30 de setembro, horário de Brasília.

Veja os procedimentos.

Instrução Normativa da Receita Federal publicada nesta terça-feira (26) traz os procedimentos para a apresentação da Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural 2022. Prazo para envio começa dia 15 de agosto e vai até as 23h59min59s do dia 30 de setembro, horário de Brasília.

A DITR deve ser enviada por meio do Programa Gerador da Declaração do ITR (Programa ITR 2022), que estará disponível no site da Receita Federal. Além disso, continua sendo possível a utilização do Receitanet para a transmissão da declaração, ou ainda a entrega da declaração gravada em conector USB em uma unidade de atendimento da Receita Federal.

A apresentação depois do prazo deve seguir os mesmos procedimentos de envio. A multa é de R$ 50 (mínimo) ou um por cento ao mês-calendário calculado sobre o total do imposto devido.

O valor mínimo do imposto é R$ 10,00. Valores inferiores a R$ 100 devem ser pagos em quota única até o dia 30 de setembro de 2022. Valor superior a R$ 100 pode ser pago em até quatro quotas, cada quota deve ter valor igual ou superior a R$ 50. A primeira deve ser paga até dia 30 de setembro, já as demais devem ser pagas até o último dia útil de cada mês, e serão acrescidas de juros Selic mais 1%.

O pagamento do imposto pode ser antecipado total ou parcialmente. Pode-se ainda ampliar para até quatro o número de quotas do imposto anteriormente previsto mediante apresentação de DITR retificadora antes da data de vencimento da primeira quota a ser alterada, observando o limite mínimo de R$ 50,00 por quota.

Retificadora:

Se, depois da apresentação da DITR exercício de 2022, o contribuinte verificar que cometeu erros ou esqueceu alguma informação, deve enviar uma declaração retificadora, sem interromper o pagamento do imposto apurado na DITR original. A DITR retificadora deve conter todas as informações anteriormente declaradas mais as devidas correções. É necessário informar o número do recibo de entrega da última DITR de mesmo exercício.
 
Formas de pagamento do imposto: 

  • Transferência eletrônica de fundos por meio de sistemas eletrônicos das instituições financeiras autorizadas pela Receita Federal.
  • Darf, em qualquer agência bancária integrante da rede arrecadadora de receitas federais, ou Darf com código de barras gerado pelo Programa ITR 2022 e emitido com o QR Code do pix, em caixa eletrônico de autoatendimento ou aplicativo do banco, ou qualquer instituição integrante do arranjo de pagamentos instantâneos instituído pelo Banco Central do Brasil (Pix), independentemente de ser integrante da rede arrecadadora de receitas federais.

Atenção! A DITR é composta pelo Diac – Documento de Informação e Atualização Cadastral do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural e pelo Diat – Documento de Informação e Apuração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural. As informações prestadas por meio do Diac da DITR não serão utilizadas para fins de atualização de dados cadastrais do imóvel rural no Cafir (Cadastro de Imóveis Rurais). O contribuinte cujo imóvel rural já esteja inscrito no Cadastro Ambiental Rural (CAR) deve informar na DITR 2022 o respectivo número do recibo de inscrição.

Fonte: Receita Federal do Brasil

Nova versão do Programa Gerador da DIRF está disponível para Download

A nova versão atualiza o modelo do comprovante de rendimentos pagos e de Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (IRRF) com base nas alterações trazidas pela Instrução Normativa RFB nº 2060, de 13 de dezembro de 2021.

A versão 1.3 do PGD Dirf 2022, aprovada pelo Ato Declaratório Executivo Cofis nº 72, de 14 de julho de 2022, contempla as seguintes alterações:

  • Inclusão de campo para o registro do rendimento não tributável anual relativo aos Juros de Mora recebidos, devidos pelo atraso no pagamento de remuneração por exercício de emprego, cargo ou função;
  • Inclusão de campo para o registro de rendimento isento mensal relativo ao Resgate de Previdência Complementar por portador de moléstia grave comprovada por laudo médico;
  • Atualização do modelo de comprovante de rendimentos pagos e de Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (IRRF) emitido pelo Programa, em observância à Instrução Normativa RFB nº 2060, de 13 de dezembro de 2021.

A nova versão do PGD Dirf deve ser utilizada para a transmissão de declarações originais e retificadoras relativas a fatos geradores ocorridos no ano-calendário de 2021, nos casos de situação normal, e no ano-calendário de 2022, nos casos de situação especial (Dirf 2022).

A Receita Federal destaca que a alteração da estrutura do Programa com a inclusão dos novos campos não obriga o declarante regular (cuja Dirf original foi entregue dentro do prazo estabelecido) a transmitir declaração retificadora. O declarante precisará enviar a Dirf retificadora de acordo com novo leiaute apenas se for necessário prestar as informações referentes aos registros criados.

Entretanto, qualquer declaração retificadora referente ao exercício de 2022, ainda que não contenha informações relativas às alterações disponibilizadas pela nova versão do PGD Dirf 2022, deve ser transmitida por meio da versão 1.3.

Fonte: Receita Federal do Brasil

Prazo para inscrições no EQT 2022 termina na próxima quarta-feira, 27

O período para realizar as inscrições no Exame de Qualificação Técnica (EQT) para Auditoria e Perícia encerra na próxima quarta-feira, 27, às 14h, em consonância com o horário oficial de Brasília (DF), de acordo com o que estabelece o Edital n.º 1/2022.

O documento também regulamenta a 6ª Edição EQT, para registro no Cadastro Nacional de Peritos Contábeis (CNPC) do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), para profissionais que pretendam atuar como peritos contábeis.

O valor da inscrição é de R$200. Ela deve ser feita, exclusivamente, no site da Fundação Cesgranrio. Ainda de acordo com o edital, as provas serão aplicadas na modalidade presencial nas 26 capitais de todos os estados brasileiros e no Distrito Federal.

Para verificar os demais detalhes e acessar a publicação na íntegra, clique aqui.

Fonte: Comunicação CFC

Seminário de Gestão e Desenvolvimento chega à região da Serra Gaúcha

Em 19 de julho, Farroupilha sediou o Seminário de Gestão e Desenvolvimento, promovido pelo CRCRS e Academia de Ciências Contábeis do RS. Esta foi a terceira edição presencial do evento, neste ano.

Com a participação de mais de duzentos profissionais da contabilidade da região da Serra Gaúcha, o evento teve início às 15h, na sede do Sindilojas, com as manifestações da delegada representante do CRCRS em Farroupilha, contadora Marcia Barbizan; do presidente do Sescon Serra Gaúcha, Osmar Júnior Tomiello da Rocha; do prefeito de Farroupilha, Fabiano Feltrin; e do presidente do CRCRS, Márcio Schuch Silveira.

Também prestigiaram o evento autoridades do Executivo Municipal, empresários, presidentes de entidades contábeis, além de conselheiros do CRCRS, delegados representantes, delegados honorários, integrantes das Comissões de Estudos e vice-presidentes.

Na cerimônia de abertura, a delegada representante do CRCRS em Farroupilha, Marcia Barbizan, destacou o objetivo do Seminário, de debater e divulgar o papel essencial da contabilidade para a boa gestão e o fomento do desenvolvimento da sociedade. Agradeceu, ainda, a todos que contribuíram para a realização do evento.

Márcia Barbizan, delegada representante do CRCRS em Farroupilha

O presidente do Sescon Serra Gaúcha, Osmar Júnior Tomiello da Rocha, manifestou-se em seguida, saudando o retorno dos seminários na modalidade presencial como oportunidade de construção de conhecimento e reforço das relações entre os profissionais. Salientou, também, a importância do número significativo de empresas contábeis para a pujança econômica do município de Farroupilha e finalizou com a apresentação de um vídeo sobre o 7º Egescon, que se realizará, em 30 de setembro, em Nova Petrópolis.

Osmar Júnior Tomiello da Rocha, presidente do Sescon Serra Gaúcha

Um profundo reconhecimento pelo trabalho dos profissionais da contabilidade deu o tom ao breve discurso do prefeito de Farroupilha, Fabiano Feltrin, que recordou momentos importantes para a inovação da gestão pública no município, que contaram com a efetiva colaboração dos contadores, como: a implantação da nota fiscal eletrônica e da Redesim.

Fabiano Feltrin, prefeito de Farroupilha

Encerrando a solenidade de abertura, o presidente do CRCRS, Márcio Schuch Silveira, frisou a satisfação do CRCRS de realizar esta terceira edição do Seminário de Gestão e Desenvolvimento, no município de Farroupilha, para debater a participação da profissão contábil no desenvolvimento da sociedade. Falou, também, sobre o alinhamento com os entes públicos, como forma de colaborar com a criação de políticas públicas que favoreçam o empreendedorismo e o crescimento econômico.

Márcio Schuch Silveira, presidente do CRCRS

Com o tema de interesse relevante para o incentivo ao empreendedorismo, “Redesim e Tudo Fácil Empresas: enfoque sob o ponto de vista do usuário”, o coordenador da Redesim, Sílvio Ramão, deu início à série de palestras, que se seguiu até as 19h30. A palestra teve a medição da contadora Nádia Grasselli, integrante da Comissão de Estudos do Setor Cooperativo do CRCRS.

Sílvio Ramão, coordenador da Redesim, e Nádia Grasselli, integrante da Comissão de Estudos do Setor Cooperativo do CRCRS.

Em sua apresentação, Sílvio Ramão explicou os benefícios obtidos com a plataforma integrada do governo do Estado do RS, coordenada pela JucisRS, DescomplicaRS e SebraeRS.

“A partir da implantação do Tudo Fácil Empresas, o empreendedor poderá obter, em um único acesso, de forma gratuita e em poucos minutos, os dez documentos necessários à abertura de uma empresa. Já para o município, a atração de novos negócios representa um impacto positivo imediato na arrecadação, além de outras facilidades, como manter atualizadas as informações sobre as empresas em funcionamento e favorecer o ambiente de negócios”, esclareceu o coordenador da Redesim.

Edenise Franco de Amorim, integrante da Comissão de Estudos de Controladoria do CRCRS, e Osmar Júnior Tomiello da Rocha, presidente do Sescon Serra Gaúcha.

A proposição seguinte de debate foi em torno do tópico “Contabilidade para Gestão”. Edenise Franco de Amorim, integrante da Comissão de Estudos de Controladoria do CRCRS, enfatizou a importância de transformar a relação cliente – profissional da contabilidade em uma parceria estratégica, como forma de “fazer evolução”. Para tanto, dentre outras ações, recomendou que se estabeleça conexão com seus clientes, que demonstre interesse, servindo seu cliente e gerando oportunidades sempre.

Edenise reforçou, ainda, a necessidade de os profissionais contábeis reforçarem as pequenas empresas e usarem tecnologias para inovar ao máximo os empreendimentos, como forma de se sobressair no cenário dos negócios.

A moderação da palestra ficou a cargo do presidente do Sescon Serra Gaúcha, Osmar Júnior Tomiello da Rocha.

Marcia Barbizan., delegada representante do CRCRS em Farroupilha, Márcio Schuch Silveira, presidente do CRCRS, Jonas Tomazzini, vice-prefeito de Farroupilha, e Regina Ducati, secretária de Desenvolvimento Econômico do município, .

A contribuição do contador no desenvolvimento da sociedade também foi tema evidenciado, durante o evento. Participaram desse painel, além do presidente do CRCRS, Márcio Schuch Silveira; o vice-prefeito de Farroupilha, Jonas Tomazzini; e a secretária de Desenvolvimento Econômico do município, Regina Ducati. A mediação foi da delegada representante do Conselho em Farroupilha, Marcia Barbizan.

Entre os aspectos abordados, o presidente Márcio Schuch Silveira  ressaltou a importância de exercer a contabilidade, buscando o desenvolvimento, a sustentabilidade dos negócios e a evolução da tecnologia. Também foi abordada a aplicação e os reflexos da implantação da governança corporativa nas empresas.

No final, todos comungaram da premissa de que a Contabilidade é um instrumento fundamental para o desenvolvimento e crescimento da economia.

As doações de alimentos não perecíveis arrecadadas durante o evento serão destinadas ao Hospital São Carlos, de Farroupilha.

O seminário confere certificado e pontuação ao Programa de Educação Profissional Continuada (PEPC).

Passo Fundo será a próxima cidade a sediar o Seminário de Gestão e Desenvolvimento, em 16 de agosto.

 

Entrega dos alimentos

Os alimentos arrecadados por conta do Seminário de Gestão e Desenvolvimento, realizado em Farroupilha, foram entregues, na tarde de 21 de julho, ao sr. Volnei Cousseau do Hospital Beneficente São Carlos. Participaram da entrega Nádia Grasselli, integrante da Comissão de Estudos de Contabilidade do Setor Cooperativo; o conselheiro do CRCRS, Felipe da Rocha Paesi; e Márcia Barbizan, delegada representante do CRCRS em Farroupilha.