CRCRS leva Seminário de Assuntos Contábeis a Alegrete

Temas com enfoque na responsabilidade do profissional da contabilidade diante do cruzamento de informações fiscais, econômicas e financeiras; em ações que fazem a diferença no sucesso da profissão e no Cadastro Ambiental Rural atraiu um público de 122 pessoas, entre contadores, técnicos em contabilidade e estudantes, em 30 de outubro, para participarem do Seminário de Assuntos Contábeis de Alegrete que ocorreu no auditório da URCAMP.

público

Na cerimônia de abertura, para saudar os presentes e dar boas-vindas, fizeram uso da palavra a delegada regional do CRCRS em Alegrete, Márcia Basso; a secretária municipal do Planejamento, contadora Lúcia Loebler, representando o prefeito Erasmo Silva; o pró-reitor da Urcamp, Júlio Otaran; e o presidente do CRCRS, Antônio Palácios.

Palácios, em sua manifestação, frisou a importância da profissão contábil para os diversos segmentos da sociedade, mas, para isso, contadores e técnicos em contabilidade têm que estarem preparados e qualificados. Hoje o profissional da contabilidade tem que desenvolver ações pró-ativas, precisa participar de ações da sociedade, se engajar em movimentos sociais, ser participativo e atuante, utilizando seu conhecimento para contribuir para a sua comunidade.

Palácios

Antônio Palácios, presidente do CRCRS

Após a abertura, as autoridades presentes foram convidadas a participarem de reunião com o presidente do CRCRS, Antônio Palácios, e o vice-presidente de Relações Institucionais, Pedro Gabril Kenne da Silva, cujo tema principal girou em torno das ações de responsabilidade social desenvolvidas pelo Conselho, especialmente no que se refere aos Observatórios Sociais e os Fundos da Criança e do Adolescente e o Fundo do Idoso.

Pedro Gabril

Pedro Gabril explicou no que consiste o Programa de Voluntariado da Classe Contábil, criado em 2008 pelo CFC, seus objetivos, subprogramas e como participar.

Enquanto isso, Celso Luft, vice-presidente de Relações com os Profissionais do CRCRS, Magda Wormann, vice-presidente de Controle Interno do CRCRS, e Dr. Fábio Boeira, assessor jurídico da Câmara de Vereadores de Alegrete, especialista em Processo Civil, iniciavam a primeira atividade da manhã, ou seja, o painel sobre “Cruzamento de informações fiscais, econômicas e financeiras: responsabilidade do profissional da contabilidade”.

celso

Celso Luft expôs situações em que as informações, com frequencia, são cruzadas na Receita Federal e, muitas vezes, por descuido, podem acarretar sérios problemas aos contribuintes. Exemplificou também ocasiões em que o profissional da contabilidade tende a ser responsabilizado por ações de seu cliente. O contador falou da mais recente novidade da Receita Federal, o e-financeira, que é a nova obrigação acessória, cujas as informações fornecidas são confrontadas com as prestadas na declaração anual do imposto de renda. Com a e-financeira, a Dimof não precisará mais ser enviada à Receita Federal para os fatos geradores a partir de 1º de janeiro de 2016.

Dr. Fábio

Dr. Fábio Boeira falou de crimes envolvendo os profissionais da contabilidade, como sonegação fiscal, além de abordar a representação fiscal para fins penais.

A partir das 13h30, Márcio Mancio, agitou a plateia com a palestra “Ações que fazem a diferença no sucesso da profissão”, ocasião em que aponta, de uma maneira divertida, iniciativas simples, mas capazes de fidelizar o cliente.

DSC_0440

O engenheiro Florestal Gabriel Berger encerrou o evento expondo detalhes do Cadastro Ambiental Rural.

CAR

Gabriel Berger explicou que CAR é um cadastro que tem fins ambientais, não tem fins fundiciários. O cadastro é obrigatório e declaratório – a responsabilidade das informações é do proprietário. O prazo para o preenchimento vai até maio de 2016. Quem não aderir ao cadastro ficará impossibilitado de conseguir crédito em bancos e terá dificuldade na aquisição de licenças ambientais.