CRCRS participa do Seminário Diálogo Público Transparência e Boas Práticas nos Conselhos de Fiscalização Profissional, realizado pelo TCU

O Conselho Regional de Contabilidade do RS participou do Seminário Diálogo Público Transparência e Boas Práticas nos Conselhos de Fiscalização Profissional, realizado pelo Tribunal de contas da União (TCU), em 25 de abril, no Auditório Mondercil Paulo de Moraes, no edifício sede do Ministério Público do RS, em Porto Alegre. O vice-presidente de Relações Institucionais, Pedro Gabril Kenne da Silva, o diretor geral, Ricardo Vitória, o diretor geral-adjunto, João Victor Oliveira, o gerente operacional, Luciano Juskoska, a assessora Luciane Veiga Dias e o assessor de controles internos Decio Neves formaram a representação do CRCRS no evento, reforçando o trabalho permanente da entidade em aperfeiçoar suas práticas de transparência junto à sociedade, ao mesmo tempo que está empenhada em atender a todas as solicitações e obrigações devidas aos órgãos de controle.

O encontro reuniu, ainda, representantes dos conselhos profissionais do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Rio de Janeiro, além de contar com a presença de entidades de outros estados brasileiros.

O evento foi aberto pelo ministro-substituto do TCU Weder de Oliveira, com a palestra Visão Geral Sobre os Conselhos de Profissão: Orçamento, Licitação e Transparência, que destacou aspectos históricos dos conselhos e destacou a relevância para a sociedade da Lei de Acesso à Informação (LAI), Lei 12.527, de 2011.

O ministro-substituto do TCU, Weder de Oliveira falou sobre a Visão-Geral Sobre os Conselhos de Profissão: Orçamento, Licitação, Transparência.

O ministro-substituto do TCU, Weder de Oliveira falou sobre a Visão-Geral Sobre os Conselhos de Profissão: Orçamento, Licitação, Transparência.

A seguir, os auditores federais de controle externo do TCU Luciane de Lucena Oliveira e Daniel Saldanha Toledo apresentaram, em linhas gerais, os Resultados e os Próximos Passos da Auditoria realizada entre os 535 conselhos profissionais brasileiros, federais e regionais, que geraram o Acórdão 96/2016.

Os auditores federais de controle externo do TCU, Luciane Oliveira e Daniel Toledo, à direita, apresentaram os resultados da Auditoria entre os 535 conselho federais e regionais brasileiros, e ao final responderam as perguntas dos represetantes dos conselhos presentes, com mediação do do chefe de gabinete do ministro-substituto Weder de

Os auditores federais de controle externo do TCU, Luciane Oliveira e Daniel Toledo, à direita, apresentaram os resultados da auditoria realizada entre os 535 conselhos federais e regionais brasileiros, e, ao final, responderam as perguntas dos representantes dos conselhos presentes, com mediação do chefe de gabinete do ministro-substituto Weder de Oliveira, Laércio Mendes Vieira.

O

Parte da representação dos Conselhos de Contabilidade presentes, entre eles CFC, CRCRS, CRCSC, CRCPR e CRCRJ, que prestigiaram o evento voltado para a ampliação e o aprimoramento de práticas de transparência pública.

As atividades da tarde iniciaram a com explanação do diretor de Normas e Gestão da Secretaria de Métodos e Procedimentos de Controle do TCU, Geovani Ferreira de Oliveira, sobre Relatório de Gestão e Contas Ordinárias em Conselhos de Profissão. Em sua fala, Oliveira esclareceu as principais obrigações dos conselhos na prestação de contas ao órgão de controle. O diretor destacou que tanto o relatório de gestão quanto o de contas são instrumentos de comunicação entre conselhos e a sociedade.

As atividades da tarde iniciaram a com explanação do diretor de Normas e Gestão da Secretaria de Métodos e Procedimentos de Controle do TCU, Geovani Ferreira de Oliveira, sobre Relatório de Gestão e Contas Ordinárias em Conselhos de Profissão. Em sua fala, Oliveira esclareceu as principais obrigações dos conselhos na prestação de contas ao órgão de controle. O diretor destacou que tanto o relatório de gestão quanto o de contas são instrumentos de comunicação entre os conselhos e a sociedade.

Em seguida, o presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR), Haroldo Pinheiro Villar de Queiroz, apresentou o caso Boa Prática em Contratações Compartilhadas, no qual apresentou aos participantes as principais etapas para a criação do Centro de Serviços Compartilhados do CAU, que possibilitou uma melhor gestão das unidades estaduais do conselho e centralizou o sistema de informação e de atendimento aos profissionais e à sociedade.

Em seguida, o presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR), Haroldo Pinheiro Villar de Queiroz, apresentou o caso Boa Prática em Contratações Compartilhadas, no qual apresentou aos participantes as principais etapas para a criação do Centro de Serviços Compartilhados do CAU, que possibilitou uma melhor gestão das unidades do conselho nos estados e centralizou o sistema de informação e de atendimento aos profissionais e à sociedade.

DSC02636

Cláudio Moacir Marques Correa, chefe da Controladoria-Geral da União – Regional/RS, esclareceu quais os principais pontos que farão parte da auditoria que será realizada pela CGU nos conselhos profissionais, no painel Atuação da CGU como Órgão de Controle Interno.

DSC02646

Logo após, Mauro Cichowski, procurador da república do Núcleo de Controle da Administração proferiu o painel Atuação do MPF no Controle da Transparência Pública. Ele explicou a maneira como o Ministério Público Federal atua na garantia no direito da sociedade à transparência pública, orientando os conselhos a adotarem melhores práticas de transparência.

Em sua fala, auditor federal de Controle Externo do TCU, Laercio Mendes Vieira, abordou aspectos relacionados a diárias e jetons, esclarecendo o que é permitido e o que é proibido, conforme acórdãos do tribunal de contas, no pagamento dessas verbas indenizatórias.

Em sua fala, o auditor federal de Controle Externo do TCU, Laercio Mendes Vieira, abordou aspectos relacionados a diárias e jetons, esclarecendo o que é permitido e o que é proibido, conforme acórdãos do Tribunal de Contas, no pagamento dessas verbas indenizatórias.

O secretário de Controle Externo do TCU no Rio Grande do Sul, Guilherme Yadoya de Souza, encerrou o seminário, falando sobre questões relacionadas a recursos humanos e verbas de representação. Assim como Vieira, o secretário do TCU também apresentou as decisões do órgão referentes a esses tópicos, apresentando as vedações e orientações do tribunal.

O secretário de Controle Externo do TCU no Rio Grande do Sul, Guilherme Yadoya de Souza, encerrou o seminário, falando sobre questões relacionadas a recursos humanos e verbas de representação. Assim como Vieira, o secretário do TCU também apresentou as decisões do órgão referentes a esses tópicos, apresentando as vedações e orientações do tribunal.