CRE realiza treinamento para auditores em Porto Alegre em 6 de junho

O Comitê de Revisão Externa de Qualidade (CRE) vai realizar, em junho, treinamentos para os auditores que irão atuar como revisores. Os treinamentos serão realizados em São Paulo, no dia 5, e em Porto Alegre, no dia 6. Cidades como Brasília, Goiânia, Fortaleza, Recife, Belo Horizonte, Curitiba e Rio de Janeiro também vão receber os treinamentos, porém, as datas ainda serão divulgadas.

As inscrições para os treinamentos em São Paulo e Porto Alegre são limitadas. Os interessados devem realizar a inscrição através do link www.cfc.org.br/eventos até a próxima segunda-feira (3)

O Conselho Federal de Contabilidade (CFC) e o Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon) foram as entidades definidas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), em 1999, para executarem as diretrizes do programa pelo Brasil. Após dois anos de estudos e análises, o Plenário do CFC aprovou as normas sobre a Revisão Externa de Qualidade e a implantação do Comitê Administrador do Programa de Revisão Externa de Qualidade (CRE).

A Revisão Externa de Qualidade pelos Pares, conhecida como “Revisão pelos Pares”, constitui-se em processo de acompanhamento e controle de qualidade dos trabalhos realizados pelos auditores independentes. O objetivo da revisão pelos pares é a avaliação dos procedimentos adotados pelo contador que atua como auditor independente e pela firma de auditoria, com intuito de assegurar a qualidade dos trabalhos desenvolvidos.

O Comitê é responsável pela administração da Revisão pelos Pares e é quem estabelece os regramentos e controles, para garantir que as revisões sejam realizadas nos prazos e na forma previstos na NBC PA 11 – Revisão Externa de Qualidade, comunicando ao CFC e à CVM os nomes dos auditores que não cumprirem os prazos estabelecidos para as providências cabíveis.

Sorteio

Em janeiro de cada ano, é realizado o sorteio, por meio de um sistema eletrônico aleatório, dos auditores que serão revisados durante o ano, garantindo assim a lisura no processo. Após o sorteio, são adicionados, pelo Comitê, os auditores que foram indicados compulsoriamente, remanescentes do ano anterior, que não foram aprovados ou tiveram outros impedimentos, e são adicionados, também, os registros novos.

Todos os auditores que entram no Cadastro Nacional de Auditores Independentes são, automaticamente, revisados no ano seguinte. A qualidade do trabalho, nesse contexto, é medida pelo atendimento estabelecido nas Normas Brasileiras de Contabilidade Técnicas e Profissionais editadas pelo CFC, nos pronunciamentos do Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon) e, quando aplicável, nas normas emitidas por órgãos reguladores.

Fonte: Comunicação CFC