Tecnologias aplicadas à economia e finanças deram o tom do segundo dia da XVII Convenção de Contabilidade do RS

Nesta quinta-feira, 15 de agosto, a manhã do segundo dia da XVII Convenção de Contabilidade do RS, realizada na Fundaparque, em Bento Gonçalves, iniciou com três painéis simultâneos. No Auditório Avatar, o coordenador da Comissão de Estudos de Tecnologia da Informação do CRCRS, Paulo Roberto da Silva, e o secretário-adjunto do Trabalho do Ministério da Economia, Ricardo de Souza Moreira integraram o painel “Sped e eSocial – Os Desafios das Primeiras Fases e o que é de Fato a Simplificação Proposta pelo Novo Comitê Gestor”. Silva abordou o tema em quatro tópicos: Como ficarão os sistemas da RFB e MTE (nomes, equipes, leiautes); Prazos para implantação (faseamento); Obrigações Acessórias a serem eliminadas e cronograma de desativação; e o tratamento para empresas que já implementaram o atual sistema eSocial. Souza Moreira, por sua vez, falou sobre as adequações exigidas pelo novo modelo, apresentando os desafios que terão de ser enfrentados pelas empresas no seu dia a dia, durante o processo de adequação ao sistema. A mediação foi do presidente do Sescon-RS, Célio Levandovski.

Célio Levandovski, Ricardo de Souza Moreira e Paulo Roberto da Silva

No Auditório Millenium, o painel “Lei Geral de Proteção de Dados e Cyber Security”, contou com as participações do arquiteto de soluções de segurança da informação Gustavo Hoffstetter Camini; o vice-presidente de Gestão do CRCRS, Ricardo Kerkhoff; e os advogados Guilherme Bier Barcellos e Bruna Manhago Serro.

Guilherme Bier Barcelos, Bruna Manhago Serro, Joacir Reolon, Gustavo Camini e Ricardo Kerkhoff

Entendendo que as características do ofício da contabilidade equiparam os profissionais contábeis a agentes controladores e operadores de dados perante a lei, Ricardo Kerkhoff apresentou a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) sob um enfoque prático e voltado para a organização contábil, além de propor métodos, processos e ferramentas que possibilitem a redução de risco. Já Gustavo Camini enfatizou a implicação da LGPD nos controles de segurança da informação das organizações, abordando as boas práticas na área – discussão que, como lembrou Guilherme Bier Barcellos, trouxe à tona o tema da proteção de dados, em âmbito nacional, com a edição da Lei nº 13.709/2018. Bruna Manhago Serro avaliou a interferência da LGPD nos negócios e operações das empresas de modo geral e especificamente na atividade contábil. O painel foi coordenado por Joacir Reolon, presidente do Sescon Serra Gaúcha.

Ricardo Kerkhoff e Guilherme Bier Barcellos

Com mediação da presidente do CRCRS, Ana Tércia L. Rodrigues, o painel “Gestão Pública: Velhos Problemas, Novas Soluções”, realizado no Auditório Matrix, teve a participação dos prefeitos de Bento Gonçalves, Guilherme Rech Pasin; Santa Maria, Jorge Pozzobom; Esteio, Leonardo Duarte Pascoal; Gravataí, Marco Aurélio Soares Alba; e Dois Irmãos, Tânia Terezinha da Silva. Eles contaram um pouco das experiências que alcançaram resultados positivos na gestão de seus municípios.

Marco Alba, de Gravataí; Jorge Pozzobon, Santa Maria; Guilherme Pasin, Bento Gonçalves; Ana Tércia, presidente do CRCRS; Tânia Terezinha da Silva, de Dois Irmãos; e Leonardo Pascoal, de Esteio

Quais são os processos que estão mudando com a chegada dos robôs no mercado contábil? O que ficou obsoleto e perdeu espaço para a inteligência artificial? Como o mercado de contabilidade deve se portar? Estas e outras questões foram respondidas pelos consultores em softwares de auditoria, Anderson Lam e Gustavo Nunes, que ministraram a palestra “Os Robôs que Recriaram o sistema Fiscal e Contábil”, na primeira parte desta manhã, no Auditório Transformers.

Consultores em softwares de auditoria, Gustavo Nunes e Anderson Lam

Simultaneamente às atrações apresentadas na Fundaparque, a sala Vale do Silício, nas dependências da CIC, foi palco da sessão interativa para apresentação de trabalhos científicos de tema livre e sobre inovação e tecnologia da informação, sob a coordenação de Ernani Ott, tendo como debatedora Maria Ivanice Vendruscolo.

Em primeiro plano, a partir da esquerda: os apresentadores João Cleber de Souza Lopes, Maria de Lourdes Furno da Silva e Carla Milena Gonçalves Fernandes, com os professores debatedores Maria Ivanice Vendrusculo e Ernani Ott

Durante os intervalos entre as palestras, a grande atração foi a Feira de Negócios e Oportunidades, que , além de  novidades em produtos e serviços para diferentes áreas da contabilidade, apresentou aos convencionais uma diversidade de artigos da serra gaúcha.

Feira de Negócios e Oportunidades

O vinho, da serra gaúcha, foi um dos produtos muito procurados

Na segunda parte da manhã, a palestra “Transformação Digital: Case de Sucesso de uma Cooperativa de Crédito”, com o líder da Transformação Digital do Sicredi, Tiago Nunes Nicolaidis, contou como funciona o processo de transformação digital de uma empresa com mais de 100 anos – o Sicredi – sem perder sua essência. Nicolaidis também abordou organização, cultura, incentivos e tecnologia, entre outros pontos. A mediação foi do presidente da Federacon-RS, Fernando Spiller.

Tiago Nicolaidis e Fernando Spiller

No painel “Substituição Tributária do ICMS – Perspectiva da Fazenda x Contribuintes sobre a Legalidade, a Oportunidade e os Impactos do Ajuste”, no Auditório Avatar, o subsecretário da Receita Estadual do RS, Ricardo Neves Pereira, falou sobre o compromisso que mobiliza a Receita gaúcha no sentido de dialogar com os representantes dos diferentes setores da economia, buscando encontrar soluções para facilitar o cumprimento das obrigações estabelecidas no plano Receita 2030: Rumo à Receita Digital, lançado em junho último pelo fisco estadual. O vice-presidente de Desenvolvimento Profissional do CRCRS, Márcio Schuch Silveira, que também participou desse painel, defendeu que as 30 iniciativas propostas pela Receita Estadual para modernizar a administração tributária promovendo a transformação digital do fisco, a melhoria do ambiente de negócios, o desenvolvimento econômico e a otimização das receitas estaduais, demandam a garantia de maior segurança jurídica aos contribuintes, o que está diretamente relacionado ao debate acerca do ajuste da substituição tributária do ICMS. A coordenação do painel ficou a cargo da delegada regional do CRCRS em Santa Maria, Simone Zanon.

Vice-presidente do CRCRS, Márcio Schuch silveira, delegada regional do CRCRS de Santa Maria, Simone Zanon, e o subsecretário da Receita Estadual do RS, Ricardo Neves Pereira

A “Atuação do Profissional Contábil no Mercado global”, foi debatida, no Auditório Millenium, pela especialista em Controlo de Gestão pelo Overgest ISCTE, Ana Cristina Pena Silva e o diretor da Asociación Española de Contabilidad y Administración de Empresas, Jose Luis Lizcano. Juntamente com a presidente da Abracicon, Maria Clara Bugarim, eles abordaram as transformações no ambiente de negócios global e discutiram a integridade da profissão e o profissional contábil como um guardião das informações empresariais.O painel foi mediado pelo conselheiro do CRCRS Marco Aurélio Gomes Barbosa.

Jose Luis Lizscano, Maria clara Bugarim, Ana Cristina Pena Silva, especialista em controle d egestão e Marco Aurélio Barbosa

Auditórios lotados e plateias atentas

Com mediação da ouvidora do CRCRS, Cristiani Fonseca de Souza, a pesquisadora na área de Sistemas de Informação Contábil, Giovana Schiavi, e o CEO da Essent Jus, Guilherme Sturm, integraram o painel “Tecnologia Aplicada a Negócios Contábeis: Otimização de Processos para Resultados Escaláveis”, no Auditório Transformers. Enquanto Schiavi se propôs a discutir o impacto das novas tecnologias nos negócios contábeis, dentro do contexto da chamada “era digital”, Guilherme Sturm trouxe da sua experiência com startups, o questionamento sobre o papel da tecnologia na atividade contábil e defendeu a sua implementação nas atividades de baixo valor agregado para escalar resultados, “o que somente será possível se os profissionais passarem a pensar como empresa, como business”, alerta ele.

Guilherme Sturm, Cristiani de Souza e Giovana Schiavi

Na sala Vale do Silício, da CIC, foram apresentados os trabalhos científicos sobre o tema Auditoria Contábil, sob a coordenação de Vitória Regina Lunardi, tendo como debatedor Clóvis Antônio Kronbauer.

Apresentadores Cristian Schnidger, Mirna Muraro, Thiago Mattei e Luiz Fernando Branco Lemos, com os professores Clóvis Antônio Kronbauer e Vitória Regina Lunardi

Na tarde desse segundo dia da XVII Convenção de Contabilidade, as apresentações iniciaram com o workshop “Transformação Digital: Case de Sucesso de uma Cooperativa de Crédito”, apresentado pelo líder da Transformação Digital do Sicredi, Tiago Nunes Nicolaidis, sob a coordenação da conselheira do CRCRS Ane Dapper. De forma dinâmica, ele tratou das transformações digitais que contribuem para uma experiência mais positiva dos clientes.

Tiago Nicolaidis e Ane Dapper

O ex-governador Germano Rigotto; o diretor da Fenacon, Diogo Ferri Chamun; e o auditor-fiscal da Receita Federal do Brasil, Jonathan José Formiga de Oliveira participaram do painel “Reforma Tributária – Um Passo para uma Tributação mais Justa e Simplificada?”. Rigotto falou sobre as propostas de Reforma Tributária que tramitam no Congresso Nacional, as possibilidades de avanço e o risco de termos uma meia reforma a partir da posição do Governo Federal de enviar proposta unificando apenas os tributos federais. Já Diogo Chamun abordou o cenário tributário brasileiro, ressaltando sua complexidade e suas injustiças, e também aproveitou para defender a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 45/2019, da Reforma Tributária, que tramita em estágio avançado no Congresso Nacional, Segundo ele, essa proposta é tratada como a reforma tributária, por propor mudanças estruturais no sistema tributário – como a unificação de impostos e o combate à guerra fiscal. O auditor-fiscal Jonathan Formiga de Oliveira afirmou que uma análise comparativa entre as diversas propostas de reforma tributária em discussão é da maior relevância, uma vez que, qualquer que seja a proposta aprovada, haverá necessidade de reformulação ou ajustes no ambiente de apuração e de escrituração dos tributos, no SPED. A coordenação do painel ficou a cargo da conselheira do CRCRS Magda Wormann.

Ex-governador Germano Rigotto, auditor-fiscal da RFB Jonathan Formiga de Oliveira, diretor da Fenancon Diogo Ferri Chamun e conselheira do CRCRS Magda Wormann

Na palestra “Do Campo para a Vida”, o ex-jogador de futebol Paulo César Tinga falou sobre a importância de se tornar um bom líder, assim como das qualidades que ele deve ter, avaliando todas as possibilidades e tomando as melhores decisões. A mediação foi do vice-presidente de Fiscalização do CRCRS, Paulo Comazzetto.

Paulo César Tinga e Paulo Comazzetto

Em “A Batalha Final: Contabilidade x T.I.”, o coordenador do Comitê Administrador do Programa de Revisão Externa de Qualidade do CFC e presidente do CRCRS de 2006 a 2009, Rogério Rokembach, provocou o público, juntamente com a contadora Alice Rokembach, falando sobre as mudanças no perfil do profissional que são uma rsposta às novas exigências do mercado, resultante do acréscimo da tecnologia ao universo contábil. A mediação ficou a cargo do coordenador da Comissão de Estudos do CRCRS Jovem, Gustavo Caletti.

Rogério Rokembach

Gustavo Caletti e Alice Rokembach

Na apresentação de trabalhos científicos, na sala Vale do Silício, da CIC, o tema foi Contabilidade Aplicada ao Setor Público, sob a coordenação de Aramis Ricardo Costa de Souza, tendo como debatedor, Adriano José Azeredo.

Após a intensa visitação à Feira de Negócios e Oportunidades, durante o intervalo, a programação da tarde seguiu com muito dinamismo.

O painel “Compliance Tributário e Trabalhista – O Benefício do Menor Risco x o Custo de Estar em Conformidade”, no Auditório Avatar, contou com as participações do integrante do Grupo de Empresas Piloto do SPED, Mauro Negruni, e o especialista em Empreendedorismo Tributário e Inovação Fiscal, Edgar Madruga. Negruni abordou uma diversidade de temas, destacando-se a reformulação do eSocial, a revisão das práticas de ICMS-ST e suas relações com o cumprimento das obrigações de forma convencional ou automatizada. Edgar Madruga, por sua vez, assegurou que a profissão contábil está vivendo um processo disruptivo, de transformação baseado em uso intensivo de tecnologia, principalmente na extinção de profissões ou funções que eram extremamente tradicionais. A coordenação foi da vice-presidente Técnico do CRCRS, Nádia Grasselli.

À tarde também foram realizadas três palestras simultâneas. Em “Revolução Tecnológica em Contabilidade e Auditoria”, no Auditório Millenium, o coordenador do Grupo de Estudos sobre Qualidade da Informação Contábil, José Elias Feres de Almeida, abordou as mudanças em curso na profissão contábil que indicam a necessidade de muitas e profundas mudanças, mas, principalmente, apontam a necessidade de que os profissionais reflitam sobre essas mudanças e a respeito de que forma elas poderão contribuir para melhorar os negócios. A mediação foi do conselheiro do CRCRS Marcos Fracalossi.

“Ética, Liderança e Protagonismo – Na carreira, nos Negócios e na Vida”, palestra ministrada pela presidente do CRCRS, Ana Tércia L. Rodrigues, no Auditório Matrix, tratou da importância da escolha de comportamentos éticos, no cotidiano profissional e sobre como todos necessitamos estar preparados para liderar pessoas e exercer o protagonismo nas diferentes áreas. A mediação foi dda coordenadora da Comissão de Estudos CRCRS Mulher Cármen Tigre.

Na palestra “Soluções Criativas – Transforme seu Mindset”, o músico Teddy Corrêa deu exemplos de como inovar nos serviços e soluções oferecidas por uma organização não só é importante para otimizar processos e transpor obstáculos que surgem no caminho, como também para agregar valor competitivo à marca. A coordenação ficou a cargo do conselheiro do CRCRS Adauto Fröhlich.

Outra atração da tarde da quinta-feira foi o lançamento do livro “Trajetória da Mulher Contabilista nos 70 Anos do CRCRS”, organizado pela Comissão de Estudos CRCRS Mulher.

Na sessão interativa de apresentação dos trabalhos científicos, realizada na sala Vale do Silício da CIC, o tema foi Contabilidade para Usuários Externos e Contabilidade Tributária, coordenada por Clóvis Antônio Kronbauer, tendo como debatedor Marcelo Coletto Pohlmann.

As atividades desta tarde se encerraram, em clima de muita descontração, com show da Banda Worstation.