CRC ao vivo com Você dá dicas para quem está iniciando na profissão contábil

A empolgação do início de carreira, as inspirações, os obstáculos e as primeiras escolhas, entre outros desafios enfrentados pelos profissionais da contabilidade que estão chegando ao mercado de trabalho, foram tópicos abordados no CRC ao vivo com Você, realizado em 11 de novembro, que propôs um bate-papo em torno do tema: “Jovem Contador: por onde começar?”. O vice-presidente de Desenvolvimento Profissional do CRCRS, Márcio Schuch Silveira convidou as jovens contadoras Aline Mattana, coordenadora da Comissão de Estudos CRCRS Jovem, e a conselheira Anabéli Galvan Perera, para contarem suas experiências e darem algumas dicas.

Aline contou que dúvidas sempre existem e indica como uma boa forma de buscar esclarecimento e atualização é por meio de palestras, lives e mesmo contatos via redes sociais. Lembrou que os membros da comissão trocam experiências sobre eventuais situações que surgem no cotidiano do trabalho. Em relação à comissão, explicou que está em andamento a organização de subcomissões, em todo o Estado, com um número significativo de interessados em participar.

De acordo com o vice-presidente Márcio Schuch Silveira, o fato de já haver interessados em participar do CRCRS Jovem, é consequência da imagem construída pela classe contábil. “A nossa classe é reconhecida na sociedade como uma das profissões mais organizadas e mais mobilizadas”, afirmou.

Para quem está ingressando na profissão, Aline frisou a importância de focar em atividades nas quais se sinta à vontade. Dessa forma, as primeiras incursões profissionais são oportunidades importantes para experimentar e conhecer todas as áreas, para posteriormente, especializar-se e, se for o caso, empreender em um escritório próprio.

Sobre as questões éticas, Anabéli Perera alerta que, desde o início da carreira, mesmo em ocasiões em que os clientes se mostrem resistentes às exigências, é responsabilidade do profissional observar os princípios da Ciência Contábil,  como registrar cada movimento e manter a documentação em ordem. “É complicado, para quem está começando, ser tão rígido, mas é preciso, tentem ser”, recomenda a conselheira, lembrando que, a fiscalização é automatizada e eventuais processos deixam marcas no registro do profissional por toda a carreira.

“Sempre é importante reforçar para os jovens profissionais que se trata de uma carreira de longo prazo. Teu maior patrimônio é tua reputação, então é necessário cuidar muito bem desses aspectos”, acrescenta Márcio Shuch Silveira.

Esses e outros tópicos de “Jovem Contador: por onde começar?”, você acompanha na TV CRCRS, canal no YouTube.