Prazo para entregar declaração do Imposto de Renda começa nesta segunda-feira. Conte com a orientação de um profissional da contabilidade!

Começa nesta segunda-feira, 1º de março, e estende-se até 30 de abril, o prazo para entrega da Declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física (DIRPF). Este é um dos importantes momentos em que os contribuintes contam com os profissionais da contabilidade, os mais capacitados para orientá-los na prestação das informações de modo correto. Assim, poderão cumprir com segurança as exigências do fisco que, neste ano, apresenta algumas novidades.

Se de um lado a nova página da Receita Federal do Brasil está mais amigável, priorizando a visualização em dispositivos móveis e oferecendo facilidades para o preenchimento, de outro, quem recebeu qualquer valor do auxílio emergencial para enfrentamento da covid-19 estará obrigado a declarar sempre que a soma desse valor com os demais  rendimentos tributáveis recebidos em 2020 ultrapassar R$ 22.847,76. Confira os detalhes.

O vice-presidente de gestão do CRCRS, contador Celso Luft, alerta que os contribuintes que entregarem as declarações mais cedo e tiverem imposto a restituir, serão os primeiros a receberem a devolução. Ao todo, estão previstos cinco lotes de restituição antecipada, em 2021, nos dias 31 de maio; 30 de junho; 30 de julho; 31 de agosto; e, o último, em 30 de setembro. Outra mudança é que, além da conta corrente e da conta poupança, as contas de pagamentos também estarão autorizadas a receber a restituição.

O programa de preenchimento da DIRPF oferece oportunidade para um importante exercício de cidadania, com o preenchimento da Ficha para Doações Diretamente na Declaração para o Funcriança e Fundo do Idoso. Luft explica que, por meio de um DARF específico e de um link, o contribuinte pode escolher diretamente as instituições cadastradas, em 2020, e destinar até 3% do imposto devido para cada fundo. “O sistema sugere automaticamente o valor, sempre observando o limite geral de 6%”, esclarece o contador.

Também estão entre as novidades:

– IPRF pré-preenchida: agora, além do certificado digital (obrigatório para quem possui rendimentos tributáveis acima de R$ 5 milhões no ano), será possível obter dados dos dependentes via procuração eletrônica;

– Parcela isenta dos proventos de aposentadoria para maiores de 65 anos: se, no preenchimento da declaração, o rendimento isento ultrapassar o limite anual de R$ 24.751,74, o excesso será transmitido automaticamente para a Ficha de Rendimentos Tributáveis recebidos da Pessoa Jurídica;

– Bens e direitos: códigos para criptoativos

  • Código 81 – Criptoativos Bitcoin, BTC;
  • Código 82 – Outros Criptoativos Moeda Digital; Altcoins, Ether (ETH), XRP (Ripple), Bitcoin Cash (BCH) Tether (USDT),Chainlink (LINK) Litecoin (LTC);
  • Código 89 – Demais criptoativos; security tokens ou utility tokens;

– Para solicitar débito automático da 1ª cota do IR a pagar, será necessário transmitir a declaração até 10 de abril;

– Empregador doméstico: continua excluído o código 50 – contribuição patronal paga à Previdência Social. Não é mais dedutível, desde o ano passado, por falta de previsão legal;

– Ajustes no serviço Meu Imposto de Renda: agora é possível entregar a declaração on-line por meio de smartphones e tablets, inclusive para quem obteve ganhos líquidos de renda variável, com ações à vista e com fundos de investimentos imobiliários (FI). NÃO É PERMITIDO para quem recebeu rendimentos do exterior, apurou ganho de capital na venda de imóveis e obteve rendimentos recebidos acumuladamente.

Celso Luft explica que o processamento da declaração continua muito rápido. O contribuinte pode ter acesso ao status do andamento já no dia seguinte e, dessa forma, verificar e corrigir pendências. O resultado do processamento estará disponível no Meu Imposto de Renda (Extrato da DIRPF).