Presidentes de CRCs compartilham suas melhores práticas na gestão

O painel “Melhores Práticas na Gestão dos CRCs” reuniu relatos de sete presidentes de conselhos regionais de Contabilidade, neste segundo dia da 34ª CIC e 18ª CCRS. Foi uma oportunidade de compartilhar experiências bem-sucedidas, que permitiram às entidades virarem o jogo, otimizando suas performances e transformando muito do que seria prejuízo decorrente da pandemia em resultados positivos. A moderação ficou a cargo do presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Distrito Federal, Daniel Fernandes.

Presidentes José Donizete Valentina (CRCSP); Laudelino Jochem (CRCPR); Rangel Francisco Pinto (CRCGO); Maria Dorgivânia Arraes Barbará (CRCPE); Daniel Fernandes (CRCDF), moderador; Itajay Maria Soares (CRCRR); Carla Cristina Tasso (CRCES); e Samir Barbosa Ferreira Nehme (CRCRJ) | Foto: Jackson Cíceri/Imprensa CIC-CCRS

Samir Barbosa Ferreira Nehme (CRCRJ)

O presidente Samir Barbosa Ferreira Nehme conta que foi preciso enfrentar com coragem o desafio de inovar. O projeto para modernizar o Conselho Regional de Contabilidade do Rio de Janeiro (CRCRJ) foi baseado em duas premissas: atender aos profissionais da Contabilidade e livrar a sociedade do mau exercício da profissão. Para perseguir esses objetivos, foram adotadas várias medidas. Foi estruturado um espaço coworking para os profissionais do interior que se deslocam até a capital; criado um aplicativo para acesso rápido a notícias, cursos, legislação de interesse da classe contábil, além de um balcão de estágios e empregos e área para atualização cadastral e emissão de boletos.  Também foi implantado atendimento via WhatsApp, permitindo retorno imediato aos profissionais, com redução no tempo de resposta aos profissionais.

Na área da educação continuada, o isolamento social exigido pela pandemia foi enfrentado com a implementação de cursos em EAD, o que conferiu maior capilaridade e economia de 90% nos custos.

Outras inovações foram o reforço da estrutura de assessoria de imprensa e o estabelecimento de parcerias: com a Junta Comercial, para a criação da Sala do Contador, que facilitou a tramitação de documentos para abertura e baixa de empresas; e com duas empresas, uma para fornecimento de certificado digital e outra para o sorteio de um carro entre os profissionais em situação regular com o CRCRJ.

Itajay Maria Soares (CRCRR)

Do extremo norte do Brasil veio um exemplo surpreendente de superação. Nem a condição de menor dos regionais, com apenas 1.269 profissionais registrados, nem as dificuldades orçamentárias decorrentes de uma inadimplência em torno de 50% intimidaram a presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Roraima (CRCRR), Itajay Maria Soares.

Por meio de uma ferramenta simples e gratuita como o WhatsApp e contando com uma equipe de conselheiros e colaboradores muito motivados, reforçou a comunicação com os profissionais, aproximando-os do Conselho. Após, passou a enviar boletos das anuidades aos inadimplentes. Dessa forma, a arrecadação cresceu gradualmente e 2021 é o primeiro ano em que o regional alcança a sustentabilidade. Para 2022, o CRCRR, que até o ano passado não conseguia sequer cumprir as obrigações com a folha de pagamentos, tem a perspectiva de manter o orçamento sustentável.

Carla Cristina Tasso (CRCES)

Desde 2005 integrando o Sistema CFC/CRCs, a presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Espírito Santo (CRCES), Carla Cristina Tasso, apostou na tecnologia, na energia e na sustentabilidade.

Um grande passo foi a implantação de um sistema de geração de energia fotovoltaica, que proporcionou uma economia da ordem de 90% nesse custo: o valor da conta declinou gradualmente de R$ 59 mil, em 2019, para R$ 6 mil, neste ano.

Na seara da educação, parcerias com o Sebrae e com o Tribunal de Contas do Estado, respectivamente, para capacitações sobre pequenas, médias e microempresas, bem como para cursos de extensão para contadores públicos, somaram-se à realização de eventos técnicos on-line e híbridos, de fácil acesso para todos os profissionais.

Outra mudança importante da gestão foi a reforma da sede do Conselho com uso de mão de obra de apenados, a custo zero. Essa medida significou, ainda o cumprimento de uma função social, por meio da ressocialização dos presos envolvidos na obra.

José Donizete Valentina (CRCSP)

Muito espirituoso e com brincadeiras bem-humoradas, o presidente do Conselho Regional de Contabilidade de São Paulo (CRCSP), José Donizete Valentina, parte da premissa de que a tecnologia é básica, porém o ser humano ainda é o maior protagonista. Segundo ele, humanizar a tecnologia é o maior dos desafios.

Gestor do maior regional do País, que cobre 645 municípios e conta com 151 mil profissionais, enfrentou a pandemia com a criação de uma central de produção de conteúdo on-line que já ultrapassou um milhão de acessos. Outro facilitador foi a criação das delegacias virtuais, que propiciam autoatendimento on-line, evitando deslocamentos desnecessários aos profissionais.

Sempre com o propósito de ajudar e motivar profissionais, em 2020, criou um Grupo de Trabalho de Diversidade e Inclusão, com o objetivo de contribuir para estimular o respeito pelas pessoas, independentemente de questões raciais, de gênero, orientação sexual, religião ou condição física. E, ainda, o CRCSP Cultural, um espaço para apresentação dos talentos artísticos dos profissionais registrado no regional.

Laudelino Jochem (CRCPR)

O mapeamento dos pontos críticos do Conselho Regional de Contabilidade do Paraná (CRCPR) foi o primeiro movimento do presidente Laudelino Jochem, ao assumir a gestão. Diante das fragilidades apontadas, foram planejadas ações estratégicas, principalmente em educação, fiscalização e atendimento aos profissionais.

Uma das constatações iniciais foi de que a maioria dos acadêmicos em períodos finais da graduação não têm clareza da finalidade das entidades de classe. Para suprir essa lacuna, o CRCPR criou o Programa Contador do Amanhã, que atendeu mais de 20 mil estudantes, por meio da contratação de palestrantes que têm a missão de esclarecer as atribuições dos Conselhos Regional e Federal, associações e sindicatos. Ainda na área da educação, foi criada a Escola Técnica que, por meio de uma rigorosa avaliação dos palestrantes, assegura a construção de conhecimento qualificado e evolutivo.

A gestão também tem atuado fortemente na fiscalização, em especial, em duas frentes: com foco sobre a possibilidade de aviltamento de honorários, no caso de empresas que migram de um escritório contábil para outro, sobre o exercício irregular da profissão. O presidente relata que, recentemente, com o uso de 14 robôs, em poucos dias de fiscalização, foram descobertos mais de mil casos de atuação sem registro no Conselho, o que permitiu  ações que levaram à regularização de boa parte dos casos.

Em 2020, foi lançado um podcast com informações sobre a profissão que, atualmente, está ganhando uma nova versão com artigos de opinião sobre o mercado, visando qualificar os profissionais para que atuem como consultores. Ao mesmo tempo, criou-se a TV CRC, cujo objetivo é repercutir informações de interesse da classe contábil, por meio de entrevistas com especialistas e autoridades.

Também foi criado um banco de oportunidades, que conecta profissionais que buscam colocação no mercado e empresas interessadas em contratar e desenvolvido um sistema de atendimento on-line, para agilizar a resposta às demandas apresentadas pelos profissionais.

Maria Dorgivânia Arraes Barbará (CRCPE)

Primeira mulher a assumir a presidência do Conselho Regional de Pernambuco (CRCPE), em 2020, Maria Dorgivânia Arraes Barbará declara que gosta de desafios e que acredita que estabelecer conexões é um modo de vencê-los.

A partir do decreto da essencialidade da profissão, foram estabelecidos três pilares para a gestão:

  1. Conexão com os governos, instituições e sociedade

A partir do planejamento, foi feita uma parceria com o Sebrae – cujo objetivo é capacitar, integrar e certificar profissionais – e estabelecidos mais de cem relacionamentos institucionais, dentre eles, com a Junta Comercial, para desburocratização e simplificação de processos de abertura e encerramento de empresas. Também foi firmado um termo de cooperação para desenvolvimento de projetos de inovação no interesse de profissionais da Contabilidade, um deles para a geração de energia renovável.

  1. Educação para o desenvolvimento de habilidades e competências

Por meio de convênio com a Universidade de Pernambuco, foi criado o MBA em Ciência de Dados, que busca capacitar e valorizar os profissionais por meio do conhecimento científico.

  1. Fortalecimento da infraestrutura

A construção da nova sede própria do CRCPE, concluída em setembro último, tem área total construída de 2.338,79 m², distribuídos em cinco pavimentos. O espaço foi concebido de acordo com as demandas da classe contábil e levando em consideração as normas de acessibilidade e conforto ambiental.

Rangel Francisco Pinto (CRCGO)

Por duas gestões, o mais jovem entre os presidentes dos CRCs, Rangel Francisco Pinto, presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Goiás (CRCGO), falou sobre a importância forte investimento na educação profissional continuada em formato on-line, durante o período de pandemia. Foram 120 lives, que atingiram um público de mais de 200 mil pessoas.

Contudo, a marca de sua gestão está em ações políticas cujos resultados se revestem de grande relevância não só para os profissionais goianos, mas, de todo o País. Assim ocorreu com a luta em prol do estabelecimento da essencialidade da profissão contábil em legislações municipais e estaduais, como também contra a Lei 17.519/2011, que estabelece a responsabilidade solidária do profissional da contabilidade pelo pagamento de tributos e penas pecuniárias de seus clientes.

Nesse caso, foram muitos os movimentos até que, em 2018, uma Ação Direta e Inconstitucionalidade (Adin) sepultou o caso: por dez votos a zero, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) julgaram inconstitucionais partes da Lei. Dessa forma, fica afastada a possibilidade de que outros estados tentem restabelecer esse tipo de responsabilidade solidária.

 

Por Ruvana De Carli – Comunicação CFC/CRCRS