Histórias marcantes de mulheres empreendedoras que aprenderam a driblar a Síndrome da Impostora

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher (8/3), o CRCRS e o Sescon-RS realizaram mais um evento de sua exitosa parceria: “Empreendendo com Elas – Como Driblar a Síndrome da Impostora”. O fenômeno de autossabotagem, cada vez mais comum, em especial, entre mulheres que disputam postos de trabalho em um mundo extremamente competitivo, foi um dos temas debatidos pela Dra. em Planejamento de Carreiras, Daniela Forgiarini, com as participações das vice-presidentes do CRCRS, de Gestão, Grace Rodrigues; de Registro, Elaine Strehl; de Desenvolvimento Profissional, Patrícia Arruda; e de Relações com os Profissionais, Tatiani Pedrotti. Em prosseguimento, foi apresentado painel com as empresárias contábeis Michele Modelski, Karina Missel e Silvia Dahmer, coordenado pela diretora do Sescon-RS Lúcia Elena Haas, em que as contadoras relataram como iniciaram seus empreendimentos e quais as maiores dificuldades encontradas no caminho.

O evento foi realizado na sede do sindicato, com transmissão on-line, pela TV Sescon-RS, no YouTube.

Aline Gauer, delegada representante do CRCRS em Venâncio Aires

A apresentação do evento foi conduzida pela delegada representante do CRCRS em Venâncio Aires, Aline Gauer. Ela ressaltou que a data marca a celebração das muitas conquistas femininas, ao longos dos últimos séculos, bem como, serve de alerta para os graves problemas de gênero que persistem em todo o mundo.

Célio Levandovski, presidente do Sescon-RS

Em homenagem às mulheres que contribuem para a valorização das entidades contábeis, o presidente do Sescon-RS, Célio Levandovski, lembrou a importância da presença feminina no processo eleitoral para a nova diretoria do Sindicato. “Vejo a importância de que venhamos a ter uma mulher como presidente de nossa entidade”, ressaltou, frisando que a nova diretoria do Sescon-RS, a ser eleita em 17/3, contará com diversas mulheres capacitadas a exercerem, inclusive, a presidência da entidade.

Márcio Schuch Silveira, presidente do CRCRS

Em uma breve saudação, na abertura do evento, o presidente do CRCRS, Márcio Schuch Silveira parabenizou todas as mulheres que aceitam desafios, como  participar de entidades, ser empresárias, assumir cargos públicos e, dessa forma, fazem a diferença na sociedade. Também defendeu o combate à discriminação de gênero. “Precisamos lutar para que as mulheres sejam tratadas da mesma forma que os homens, com oportunidades e com confiança”, afirmou.

Como driblar a Síndrome da Impostora”

No primeiro painel, a vice-presidente de Desenvolvimento Profissional do CRCRS, Patrícia Arruda, falou sobre a necessidade de que o Dia Internacional da Mulher seja uma data para que se avaliem as razões pelas quais as mulheres ainda sofrem com a desigualdade salarial, as dificuldades de acesso aos cargos de chefia e tanta violência sexual e moral. “Hoje é um dia para parar e refletir a respeito disso, para que dessa reflexão saia alguma política social que venha, de fato, a melhorar a nossa vida”, considerou.

No palco, as vice-presidentes do CRCRS, de Desenvolvimento Profissional, Patrícia Arruda; de Registro, Elaine Strehl; e de Relações com os Profissionais, Tatiani Pedrotti; no telão, a vice-presidente de Gestão, Grace de Avila Rodrigues

A vice-presidente de Registro, Elaine Strehl, tratou do medo presente no cotidiano de trabalho das mulheres e agradeceu ao presidente Márcio Schuch Silveira pela valorização do feminino. “Ao montar a chapa, pensaste nas mulheres, não na frente nem atrás, mas ao lado. Hoje, como vice-presidentes, também estamos ao lado”, comentou. Elaine mencionou, ainda, a satisfação de ver que a participação das mulheres também cresceu entre as delegadas representantes do CRCRS, o que avaliou como muito gratificante e positivo.

O empreendedorismo, que cresce a cada ano entre as mulheres, porém, ainda não proporcionalmente à população feminina, foi um dos aspectos analisados pela vice-presidente de Relações com os Profissionais, Tatiani Pedrotti. Segundo ela, embora as mulheres tenham, em média, 16% a mais de formação acadêmica, ainda não conseguem alcançar os cargos de liderança, enfrentam desigualdades salariais e o medo de situações em que necessitam se posicionar em ambientes predominantemente masculinos. “Mas, acredito que é preciso se capacitar, obter conhecimento, ter protagonismo, se posicionar perante a sociedade. Tudo isso faz parte do empreender. Mesmo que tu tenhas medo, segue adiante, é uma quebra de paradigma. Vamos lá, vamos em frente, vamos manter os nossos negócios!”, estimulou a contadora.

A vice-presidente de Gestão, Grace de Avila Rodrigues, iniciou sua participação, de forma on-line, com um convite aos homens e mulheres presentes ao evento. “Protagonismo sabe de quê? Da vida. Sejamos protagonistas da nossa vida! Sejam mulheres ou não. Protagonistas das nossas vidas, dos nossos desejos, daquilo que a gente quer, daquilo que a gente acredita! A tua missão de vida é qual?”, indagou. Grace defendeu que o protagonismo seja de cada pessoa e considerou absurdo que, em 2022, ainda se necessite discutir preconceitos de qualquer tipo, como de gênero ou racial. Recordou, ainda, que só é possível, hoje, se manifestar com tranquilidade sobre esse assunto porque, desde muito tempo, houve mulheres que lutaram por essa liberdade.

Daniela Forgiarini, psicóloga e Dra. em Desenvolvimento de Carreiras

Ao ministrar a palestra que deu nome ao painel, a psicóloga Daniela Forgiarini salientou a importância de conhecer cases de carreiras de sucesso como uma das melhores formas de driblar a chamada Síndrome da Impostora. Segundo ela, as mulheres são a maioria dos profissionais que se aplicam na curadoria da própria carreira, bem como também são, em geral, mais generosas, dedicando parte de seu tempo a ajudar outras mulheres a desenvolverem e manterem a autoconfiança.

A palestrante também abordou as repercussões da linguagem corporal e da influência da cultura familiar na geração de dificuldades para as mulheres acreditarem que o sucesso pode ser alcançado com base no seu talento. Com muitos exemplos, situações descritas e indicações de leitura, Daniela Forgiarini finalizou sua apresentação reiterando que a melhor forma de driblar a autossabotagem é conhecer modelos de sucesso à sua volta.

Empreendendo com Elas”

O segundo painel reuniu as empresárias contábeis Michele Modelski, Karina Missel e Silvia Dahmer. Sob a moderação da diretora do Sescon-RS, Lúcia Elena Haas, elas discutiram a existência do preconceito e relataram suas experiências como profissionais e empreendedoras da área contábil.

Lúcia Elena Haas, diretora do Sescon-RS e as empresárias contábeis Michele Modelski, Karina Missel e Silvia Dahmer

Foram histórias inspiradoras, nas quais a constante busca de aprendizado somou-se à aceitação dos desafios surgidos ao longo da jornada – caminhos pavimentados pela iniciativa, pelo planejamento e pelo reconhecimento das próprias virtudes e capacidades. Apesar do preconceito, que ainda se manifesta – porém, cada vez mais, de forma velada –, essas narrativas revelaram mulheres que construíram suas carreiras, por meio de mentorias, com sororidade, e hoje alcançaram o equilíbrio entre a liberdade e o sucesso almejados.

Confira a íntegra dessa live imperdível, na TV Sescon-RS, no YouTube!