Definido modelo contábil para micro e pequenas empresas

O Conselho Federal de Contabilidade aprovou, por meio da Resolução 1.418/2012, a Interpretação Técnica Geral (ITG) 1000 – Modelo Contábil para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte.


A partir de agora, as entidades cuja receita bruta tenha sido de até R$ 3,6 milhões por ano podem elaborar, a partir do exercício encerrado em 31/12/2012, apenas alguns relatórios previstos na NBC TG 1000, a saber: o balanço patrimonial, a demonstração do resultado em exercício e as notas explicativas. A demonstração do resultado abrangente, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa passam a ser opcionais.


Outra medida que a ITG 1000 traz é a necessidade de apresentação da Carta de Responsabilidade da Administração, considerada uma salvaguarda ao profissional contábil, uma vez que o previne de possíveis lacunas ou inconsistências de documentos apresentados pelo empresário e necessários para a elaboração das demonstrações contábeis. O modelo da carta consta em anexo na Resolução CFC nº 1.418/2012, disponível em www.cfc.org.br.


De acordo com o vice-presidente Técnico do CRCRS, Contador Paulo Schnorr, com a ITG 1000, haverá um avanço significativo na Contabilidade das empresas de micro e pequeno porte. “Especialmente porque, nas microempresas, os controles internos são, de certa forma, deficientes, quando não são inexistentes. Com isso (a ITG 1000), o profissional estará aplicando uma salvaguarda importante, fazendo com que essas imperfeições possam ser corrigidas, e as demonstrações contábeis que ele apresentar sejam mais fidedignas