“Mulheres de Sucesso: na vida e na Contabilidade” estreia na TV CRCRS

Esta quinta-feira, dia 5 de novembro, foi marcada por mais uma estreia na TVCRCRS, no YouTube. No primeiro episódio da série “Mulheres de Sucesso – na Vida e na Contabilidade”,  a coordenadora da Comissão CRCRS Mulher, Aline Gauer, conversou com a conselheira do CRCRS Cristiane Teresinha Domingues de Souza, que se emocionou por se homenageada como a pioneira a participar do projeto, que tem como objetivo valorizar a mulher contabilista, por meio de histórias de vida de profissionais destacadas. Ela parabenizou a Comissão pela iniciativa, com foco no empreendedorismo, na liderança e na diversidade social – cultural, étnica e de gênero – e se disse honrada em ter sido escolhida para ajudar a dar visibilidade a milhares de mulheres que fazem parte da área contábil.

A paixão pela Contabilidade nasceu cedo, aos 15 anos de idade, ainda durante o primeiro emprego, quando foi convidada pelo auditor da empresa em que trabalhava a colaborar com o balanço. Curiosa, perguntou o que fazia um auditor e, quando lhe explicaram, a escolha foi imediata: “é essa a profissão que quero seguir!”, decidiu Cristiane. Na época, cursava o ensino médio, mas, sete anos depois, apoiada pelo profissional que lhe serviu como primeira inspiração, ingressou na graduação de Ciências Contábeis, na PUC-RS. Daí para a frente, o currículo se ampliou na proporção dos sonhos e objetivos. “Eu sonho grande, sempre sonhei grande, e sou positiva, invariavelmente, na certeza de que vou atingir meus objetivos”, afirmou a contadora, que atua como gerente administrativo-financeira de uma fundação; é palestrante e professora universitária; consultora na área de gestão financeira para micro e pequenas empresas e traz, dentre outras formações, a de mestre em Economia e MBA em Controladoria, pela UFRGS, e especialista em Contabilidade – Planejamento Tributário, pela Unifin, além de ser estudante de Filosofia.

O apoio da família, de um amigo contador e a convivência com colegas que serviram de exemplo profissional e ético foram parte importante da formação e impulsionam Cristiane a incentivar outras pessoas a seguirem na profissão.

Entre os desafios enfrentados ao longo da carreira, um grande obstáculo foi, e ainda é, o racismo. Sobre essa questão, a contadora considera que “só sabe o que é preconceito quem sente. Quem não sente, imagina, pensa como é, mas, não sabe.” Como exemplo, contou uma situação que, segundo ela, poderia tê-la levado a desistir do sonho de ser contadora. No final dos anos 90, foi indicada por um colega para uma vaga de auditor. Concorreu e chegou à última etapa do processo seletivo – uma entrevista conduzida pelos dois sócios da empresa. “No final, eles me disseram com todas as letras que não poderiam me contratar, porque eu não poderia atender todos os clientes deles. Então, eu não fui selecionada. Isso me doeu profundamente, porque era um sonho que não poderia se realizar. Embora eu tivesse ido muito bem no processo seletivo, o meu fenótipo não permitia que eu fosse a pessoa escolhida para aquela atividade”, descreveu Cristiane. Contudo, romper paradigmas é um dos hábitos dessa mulher, que já enfrentou diversas situações de discriminação, sem abrir mão de ir em frente, em busca das metas estabelecidas – um exemplo inspirador.

O primeiro programa da série “Mulheres de Sucesso – na Vida e na Contabilidade” está na TV CRCRS, no YouTube. Imperdível!

CRC ao vivo com Você debate “Perspectivas da Perícia Contábil”

No “CRC ao vivo com Você”, deste 4 de novembro, a presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul (CRCRS), Ana Tércia L. Rodrigues, conversou com a coordenadora da Comissão de Estudos de Perícia Contábil, Sandra Rasquin Rabenschlag, e com o conselheiro do CRCRS Mártin Lavies Spellmeier, sobre as “Perspectivas da Perícia Contábil”.

A inserção imediata e urgente no mundo virtual, decorrente da pandemia, não chegou a ser um problema para os peritos contábeis, já bastante habituados a lidar com o processo judicial eletrônico e a trabalhar de forma virtual. Para  Sandra Rabenschlag, houve uma grande migração de profissionais para a área da Perícia, o que causa preocupação, devido à experiência e profundidade profissional demandadas, bem como à necessidade de cumprimento das rígidas normas técnicas e éticas que regulam a atuação do segmento. “Isso nos preocupa no sentido da profundidade que o profissional precisa ter, porque a Perícia Contábil faz prova dentro do processo e, uma perícia na fase de instrução, por exemplo, se mal conduzida, prejudica o bom andamento do processo todo”, explicou.

A coordenadora da Comissão de Estudos de Perícia Contábil do CRCRS lembrou, também, que a Justiça Trabalhista está em fase de adequação ao PJ e-Calc – ferramenta padrão de elaboração de cálculos trabalhistas e liquidação de sentenças, utilizada na Justiça do Trabalho. Os peritos ainda estão se adaptando a apresentar cálculos por meio do programa, o que exige grande atenção e dedicação dos profissionais. “É preciso  preparo e responsabilidade, pois nós temos implicações éticas e implicações cíveis na Perícia”, destaca Sandra, esclarecendo que o perito não é aquele que faz cálculos.

Sobre a questão referida por Sandra, a presidente Ana Tércia mencionou que “é o que nós vivenciamos muito no Plenário do CRCRS, com julgamentos de processos que muitas vezes são denunciados pelo próprio Judiciário por atuação indevida do perito”.

A respeito desta preocupação do Plenário do Conselho, Mártin Spellmeier afirmou que “o profissional que está oferecendo seus serviços ao juiz, às partes ou advogados, tem que ter cuidado com os honorários, que têm que cumprir a tabela, têm que ter um parâmetro específico, porque o aviltamento de honorários é ruim para toda a classe”, afirmou. Segundo ele, é preciso ter claro que a prática de um preço justo pelo justo pelo serviço, que cubra os custos e remunere o trabalho, é um fator de fortalecimento da classe de peritos contábeis como um todo.

Ainda sobre honorários, Sandra Rabenschlag salientou a necessidade de considerá-los como faturamento e não apenas como remuneração, porque o profissional arca com custos elevados e muitas vezes invisíveis, entre os quais, muitos programas e plataformas para reunião com clientes.

Outro aspecto, abordado pela presidente Ana Tércia, foi a velocidade do avanço da tecnologia na profissão, com a robotização de processos e uso da inteligência artificial. Para Sandra Rabenschlag, a aceleração tanto da virtualização como da análise de sistemas e de dados, passa e exigir do perito contábil um conhecimento muito maior sobre informática e a busca por um bom assessoramento em Tecnologia da Informação. Do mesmo modo, nas diferentes esferas do Judiciário, o avanço tecnológico é rápido, com o uso casa vez mais amplo de programas como  Processo Judicial Eletrônico (PJe) e Sistema de Transmissão Eletrônica de Atos Processuais da Justiça Federal da Primeira Região (e-proc), o que requer atualização dos servidores, dos advogados e também dos peritos, que irão precisar de equipamentos adequados, uma boa internet e desenvoltura para trabalhar nessa nova realidade, respondendo às demandas com qualidade e velocidade. “O perito acaba sendo especialista em diversas áreas e, para ser o braço direito do juiz, precisa estar atento a todos os detalhes, afirmou Mártin, lembrando, ainda, que um dos maiores desafios para o profissional da área de Perícia Contábil é a necessidade de atualização permanente.

Estes e outros aspectos do segmento da Perícia Contábil estão na TV CRCRS, canal do YouTube. Confira!

 

Reparcelamento de débitos do Simples Nacional

A partir de hoje (3/11) está disponível, no portal do Simples Nacional ou no portal e-CAC, o módulo para reparcelamento de débitos apurados pelo Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Simples Nacional).

O limite de 1 pedido de parcelamento por ano para os débitos apurados no âmbito do Simples Nacional foi excluído pela Instrução Normativa RFB nº 1.981, de 9 de outubro de 2020.

Dessa maneira, o contribuinte poderá reparcelar sua dívida no âmbito do Simples Nacional quantas vezes quiser.

A ação visa estimular a regularização tributária dos contribuintes e, consequentemente, evitar ações de cobrança da RFB que podem ocasionar a exclusão do Simples Nacional.

A condição para o reparcelamento é o pagamento da primeira parcela nos percentuais abaixo:

I – 10% (dez por cento) do total dos débitos consolidados; ou
II – 20% (vinte por cento) do total dos débitos consolidados, caso haja débito com histórico de reparcelamento anterior.

O pedido de reparcelamento deverá ser feito exclusivamente por meio do site da RFB na Internet, nos Portais e-CAC ou Simples Nacional.

Para maiores informações sobre o reparcelamento, acessar o Manual de Parcelamento do Simples Nacional.

Fonte: Receita Federal /Simples Nacional

eSocial Download: para facilitar a vida do empregador

O eSocial disponbiliza mais uma ferramenta para auxiliar na gestão das informações pelos empregadores. O eSocial Download permite baixar os eventos transmitidos pelos empregadores no formato XML. Ao final de cada arquivo transmitido, os dados do recibo do evento também são disponibilizados.
Apenas eventos processados com sucesso pelo Ambiente Nacional do sistema são disponibilizados nessa ferramenta. Eventos transmitidos com sucesso e depois excluídos pelo empregador (evento S-3000) também aparecem nessa consulta. Totalizadores gerados pelo envio de remunerações e fechamento da folha de pagamento também serão incluídos no retorno dessa consulta.

Arquivos enviados pelo empregador e recusados pelo eSocial, por qualquer motivo, não aparecerão nesta consulta. Nesse caso, o empregador deve consultar o resultado do próprio processamento do lote e do evento transmitido.

O eSocial Download está disponível no acesso WEB do sistema (WEB Geral) para pessoas físicas e jurídicas. Os módulos simplificados não possuem essa ferramenta. Não há opção de realizar essa consulta via webservice (sistemas próprios das empresas).

Neste momento, apenas o titular ou responsável legal terão acesso ao menu Download. O acesso via procuração será disponibilizado em breve, desde que o empregador delegue poderes para uma opção específica que será criada no sistema de procurações do e-CAC (“eSocial – Download”). Não será necessário novo cadastramento para as procurações marcadas com a opção “Todos os serviços existentes e os que vierem a ser disponibilizados no sistema de procurações…“, pois herdarão automaticamente esse poder.

Veja algumas regras:

  • O empregador poderá realizar até 12 pedidos por dia, independentemente do tipo de filtro utilizado;
  • Os pedidos devem possuir um intervalo de solicitação máximo de 35 dias por pedido;
  • Não será possível realizar outro pedido se já existir um do mesmo tipo com status “em processamento”. Nesse caso, deverá aguardar a conclusão do pedido;
  • Após finalizar o registro, o empregador poderá acompanhar seu pedido pelo menu “Downloads” >> “Consulta”. O prazo para disponibilização dos arquivos dependerá da quantidade de eventos transmitidos pelo empregador e ocorrerá de forma assíncrona e no formato compactado (.ZIP);
  • Os pedidos ficarão disponíveis para download no prazo de 07 dias. Após esse prazo, essa consulta será excluída e o empregador deverá realizar novo pedido, caso necessário;
  • Caso o pedido resulte em mais de 200 mil registros (eventos), não haverá processamento (situação “excedido”) e o empregador terá que fazer novos pedidos com períodos menores de intervalo, ou utilizar outro filtro;
  • Será respeitado o leiaute original e a versão que o arquivo foi enviado.

Atualmente, a data de término da pesquisa deve ser menor ou igual a 30/09/2020. Ainda nesta semana serão disponibilizados os arquivos enviados até o dia 31/10/2020. Em breve essa data será variável (dinâmica), com a inclusão de eventos transmitidos até o dia anterior.

Filtros disponíveis:

  • Todos os eventos entregues em determinado período;
  • Todos os eventos de um determinado trabalhador;
  • Todos os eventos enviados por aplicação web;
  • Tabela de Estabelecimentos, Obras ou Unidades de Órgãos Públicos;
  • Tabela de Rubricas;
  • Tabela de Lotações Tributárias;
  • Tabela de Processos Administrativos/Judiciais;
  • Tabela de Operadores Portuários.

Veja como é fácil utilizar essa ferramenta:

1. No menu do eSocial, clique em “Downloads” e depois em “Solicitação”:

2. Selecione o filtro desejado:

3. Indique o período e informe o campo adicional de filtro (CPF, código de tabela etc.), se houver. Depois, clique em “Salvar”:

4. Para ver o resultado dos pedidos, utilize a opção “Consulta” do menu “Download”:

O arquivo compactado com o todos os eventos XML da solicitação estará disponível para baixar na coluna “Ações”.

5. O conteúdo do evento  e seu recibo estarão no mesmo arquivo, conforme estrutura do arquivo XML abaixo:

Fonte: eSocial