Um novo ciclo para um profissional da contabilidade em transformação

No dia 27 de maio, o Sistema CFC/CRCs completa mais um ano de existência. São 76 anos de trabalho incansável e abnegado em favor da classe contábil. Ao todo, somamos mais de sete décadas de caminhada, acompanhando a construção e o desenvolvimento do mercado e da economia e, principalmente, lutando pela evolução da Contabilidade brasileira.

Este novo ciclo que se inicia nos coloca diante de novas perspectivas e nos impulsiona a caminhar ao encontro da busca constante pelas mudanças e pelas melhorias que nos levam à excelência.

Guiados por esse olhar, estamos trabalhando, intensamente, em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal (DF) no desenvolvimento de uma proposta de alteração da Resolução CNE/CES n.º 10, de 16 de dezembro de 2004. Essa norma institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado, e guia as Instituições de Ensino Superior (IES) brasileiras. Esse projeto visa alinhar a formação dos futuros contadores à realidade e às demandas do mercado.

Pensando na construção de uma nova mentalidade, o Conselho Federal de Contabilidade (CFC) está envolvido com a criação do Comitê Brasileiro de Pronunciamentos de Sustentabilidade (CBPS). A iniciativa é voltada para a adoção de regras de divulgação de informações sobre ESG, sigla em inglês para ambiental, social e governança. A temática da sustentabilidade não é um tema do futuro. É uma pauta do presente e precisa fazer parte do dia a dia da Contabilidade. O pensamento coletivo deve nortear as nossas ações.

O olhar cuidadoso para aqueles que estão ao nosso redor está intimamente relacionado à sustentabilidade. Como profissionais da contabilidade, temos diferentes meios de contribuir para o desenvolvimento sustentável de nosso país. Nesse sentido, o Sistema CFC/CRCs vem trabalhando intensamente no incentivo e na divulgação da destinação de parte do Imposto de Renda da Pessoa Física para os Fundos da Criança e do Adolescente e para os Fundos do Idoso. Uma das ações referentes a esse trabalho foi o estabelecimento da parceria entre o CFC e a Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) voltada para a difusão desse assunto.

A sustentabilidade também se materializa por meio da democracia e os profissionais da contabilidade têm papel importante nesse processo. Isso porque a assinatura dos contadores é obrigatória nas prestações de contas eleitorais, garantindo mais transparência ao processo. Nesse contexto, o CFC realizará, neste ano, o Seminário Nacional de Prestação de Contas Eleitorais. O evento será gratuito e acontecerá de forma híbrida – presencial e virtual, com transmissão ao vivo. Esse encontro formará multiplicadores de todo o Brasil, que, em seguida, levarão os conhecimentos adquiridos aos seus estados.

Seguindo o trabalho de fortalecer a nossa classe, também manteremos diálogo próximo com instituições de interesse da Contabilidade. Dessa forma, continuaremos a apresentar as nossas demandas e sugestões que contribuam para o cumprimento das obrigações tributárias e para o desenvolvimento das empresas e da economia brasileira.

Aliado a isso, sabemos da relevância da tecnologia para a entrega de nossas atividades e, assim, nosso Sistema estimula e apoia a absorção das soluções digitais na vida contábil. Ao mesmo tempo, incentivamos a nossa classe a utilizar o grande volume de dados, que estão ao nosso dispor hoje, em benefício da prática da Contabilidade mais estratégica.

Que nesse novo ciclo percebamos, definitivamente, que somos consultores de negócios, assessores e aliados dos negócios brasileiros e agentes do desenvolvimento sustentável. Sem dúvida, nós fazemos a diferença e o CFC e os CRCs atuarão sempre para proteger e engrandecer a profissão contábil. O Sistema CFC/CRCs continuará trabalhando com foco, amor e integridade para que a Contabilidade seja ainda mais reconhecida como essencial para o Brasil.

Aécio Dantas, presidente do CFC

CFC coloca em audiência pública minuta que propõe mudança no currículo do curso de Ciências Contábeis

O Conselho Federal de Contabilidade (CFC) colocou em audiência pública a minuta que propõe a alteração da Resolução CNE/CES nº 10, de 16 de dezembro de 2004. A norma institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado, e guia as Instituições de Ensino Superior (IES) brasileiras. O documento está disponível para contribuições na plataforma Participa + Brasil e poderá receber comentários até o dia 31 de maio.

A autarquia espera reunir sugestões de profissionais, de acadêmicos e de estudantes de todo o país. A partir das contribuições, o objetivo é construir uma proposta de mudança para o normativo e apresentar ao Ministério da Educação (MEC) ainda no primeiro semestre de 2022.

O presidente do CFC, Aécio Dantas, ressalta que a essencialidade dos profissionais da contabilidade ficou ainda mais evidente durante a pandemia. O contador pontua que os contadores são grandes aliados da economia brasileira e que acompanham, desse modo, as transformações do mercado. “Considerando o impacto dos profissionais da contabilidade na economia e no desenvolvimento sustentável do país, precisamos manter o currículo de Ciências Contábeis atualizado e alinhado com o mercado. Dessa forma, formaremos profissionais aptos a atuarem com excelência”, afirma.

Desde o final de 2021, o CFC iniciou os trabalhos voltados para a reformulação das diretrizes curriculares. A proposta do Conselho é adequar o curso de graduação em Ciências Contábeis à nova realidade do mercado, marcada por pautas como tecnologia, ciência de dados, sustentabilidade, entre outros temas.

Dando prosseguimento ao projeto, ainda no ano passado a autarquia comunicou a Instituições de Ensino Superior, a coordenadores e a professores do curso de Ciências Contábeis que iniciaria o trabalho de reformulação da resolução e solicitou o envio de sugestões. Em seguida, os 27 Conselhos Regionais de Contabilidade (CRCs) foram convocados para iniciar discussões sobre o tema em suas jurisdições, com a finalidade de reunir opiniões de todo o país.

Em 2022, ocorreu uma reunião nacional com todos os presidentes das 24 Academias de Ciências Contábeis e outra com os presidentes dos 27 CRCs. O objetivo foi buscar diferentes pontos de vista e enriquecer a minuta que entraria em audiência pública.

A participação de toda a classe contábil na audiência pública é fundamental para o enriquecimento do material que será enviado ao MEC. A partir de pontos de vista vindos do mercado e da academia, será possível reunir contribuições variadas, de acordo com as diversas realidades brasileiras, que poderão para fortalecer ainda mais a contabilidade no Brasil.

Participe e deixe a sua contribuição. Para acessar o portal Participa + Brasil, clique  aqui.

Fonte: Comunicação CFC

Dia D: evento para debater proposta de mudança da matriz curricular do curso de Ciências Contábeis

Este 24 de maio foi o “Dia D da Educação Contábil”. Pela manhã, em todo o País, representantes de entidades contábeis e profissionais participaram da ampla discussão, promovida pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC), sobre proposta de alterações na matriz curricular dos cursos de graduação em Ciências Contábeis, instituída pela Resolução CNE/CES nº 10, de 16 de dezembro de 2004.

O debate, o mais abrangente, desde 1945, quando o curso foi criado, prossegue, em Audiência Pública, até 31 de maio, para contribuições, na plataforma Participa + Brasil.

A minuta propositiva de mudanças, apresentada na plataforma, foi elaborada pela Comissão Nacional de Educação Contábil, do CFC, sob a coordenação da presidente da Abracicon, Maria Clara Cavalcante Bugarim (AL), com as participações de Elias Dib Caddah Neto (PI), coordenador-adjunto; Alexandre Sanches Garcia (SP); Editinete André da Rocha Garcia (CE); Marco Aurélio Gomes Barbosa (RS); Oscar Lopes da Silva (MG); Roberta Carvalho de Alencar (CE); Roselane Moita Pierot Magalhães (PI); e Sonia Maria da Silva Gomes (BA). O grupo, formado por integrantes de diferentes estados, deverá refletir as diferentes realidades do País nas sugestões apresentadas.

A proposta receberá, ainda, contribuições das IES, coordenadores e professores do curso de Ciências Contábeis dos 27 estados da federação, por meio dos Conselhos Regionais de Contabilidade, bem como de todos os profissionais interessados, levando em conta a necessidade de adequação do curso de graduação em Ciências Contábeis à nova realidade do mercado. Na sequência, caberá à Comissão Nacional de Educação Contábil elaborar uma nova versão do documento, que será encaminhado ao MEC.

No Rio Grande do Sul, o Conselho Regional de Contabilidade (CRCRS) realizou painel on-line sobre a minuta propositiva de alteração da Resolução CNE/CES nº 10, de 16 de dezembro de 2004. A explanação do tema ficou a cargo do professor Marco Aurélio Barbosa, vice-presidente Técnico do CRCRS, com apresentação da vice-presidente de Desenvolvimento Profissional do CRCRS, Patrícia Arruda, e  moderação do coordenador da Comissão de Estudos de Acompanhamento do Ensino Superior do CRCRS, Clóvis Kronbauer,

Na abertura, além do presidente do CRCRS, Márcio Schuch Silveira, manifestaram-se os presidentes do Sescon-RS, Flávio Ribeiro Jr.; do Sescon Serra Gaúcha, Osmar Tomielo da Rocha; e da Fecontábil, Fernando Spiller; além do vice-presidente Técnico do Regional e integrante da Comissão Nacional de Educação Contábil do CFC, Marco Aurélio Gomes Barbosa, que ministrou palestra sobre a minuta, que segue em Audiência Pública até 31 de maio.

Ao falar acerca do processo de alteração das diretrizes curriculares, o presidente do CRCRS, Márcio Schuch Silveira, destacou o trabalho desenvolvido pelo Sistema CFC/CRCs e demais entidades contábeis de todo o País, que estão trabalhando, irmanadas, para que as mudanças no ensino de Ciências Contábeis reflitam, cada vez mais, na excelência dos profissionais.

“Temos atuado além das restritas prerrogativas de cada entidade contábil, porque o propósito maior de todos nós é garantir que a sociedade tenha acesso a profissionais qualificados. É preciso, sim, que os profissionais sejam fiscalizados, mas que também lhes sejam proporcionadas oportunidades de melhorarem seus conhecimentos. Dessa forma, a discussão da proposta de mudança da diretriz curricular, que é uma resolução do MEC, torna-se mais uma frente na qual o sistema CFC/CRCs passa a atuar, em prol da valorização da profissão contábil. Não temos dúvida de que, com o nosso trabalho político-institucional, o resultado desse debate, que será submetido ao MEC, passará a ser reconhecido como a voz da classe contábil”, afirmou Márcio Schuch Silveira.

O presidente do CRCRS lembrou, ainda, que, de acordo com o secretário do Ensino Superior do Ministério da Educação, Vagner Vilas boas de Souza, a profissão contábil está entre as quatro profissões mais procuradas e com maior número de alunos matriculados, no País, atrás, apenas, dos cursos de Pedagogia, Administração e Direito.

Em sua exposição, o vice-presidente Técnico do CRCRS, Marco Aurélio Gomes Barbosa, explicou que a minuta propositiva de alteração da Resolução CNE/CES nº 10, de 16 de dezembro de 2004, que está em discussão, foi elaborada a partir de contribuições das IES, coordenadores e professores do curso de Ciências Contábeis dos 27 estados da federação, por meio dos Conselhos Regionais de Contabilidade, levando em conta a necessidade de adequação do curso de graduação em Ciências Contábeis à nova realidade do mercado.

Ao citar a proposta do CFC, Marco Aurélio observou que esse é o debate mais profundo e mais democrático já ocorrido, em 77 anos de criação dos cursos de Ciências Contábeis.

“Essa discussão abriu espaço para que todos participem. Isso é fruto de um grande trabalho, que começou, no CFC, com o presidente Zulmir Breda, e seguiu com o presidente Aécio Prado Dantas Júnior, com a participação da presidente da Abracicon, Maria Clara Cavalcante Bugarim. Foram essas as pessoas que iniciaram o diálogo com o Ministério da Educação, em um movimento inédito no nosso ensino como um todo”, salientou o vice-presidente Técnico do CRCRS.

Segundo Marco Aurélio, as alterações têm por objetivo muito mais do que simples ajustes de currículo, visam a transformações profundas nas bases educacionais, propiciando uma verdadeira mudança de paradigma, capaz de atender ao novo e dinâmico cenário no qual estarão inseridos os profissionais da contabilidade do futuro próximo. Para formar contadores e contadoras capazes de enfrentar uma realidade que envolve desde a complexidade dos negócios, impactados pelas mudanças climáticas, pelo governo eletrônico e pela revolução tecnológica, dentre outros desafios, a proposta aponta a necessidade de uma educação contábil baseada em competências, que seja holística, transformadora, inter e transdisciplinar; que conecte aprendizagens formais e informais, seja interativa e centrada no estudante.

As sugestões para a proposta que está em audiência pública deverão ser encaminhadas, até 31 de maio, para a plataforma Participa + Brasil. Clique no link e contribua para melhorar a educação em Ciências Contábeis!

O evento Dia D da Educação Contábil está disponível na TV CRCRS. Confira!

Clique aqui para acessar a apresentação do palestrante sobre a “Proposta de alteração da Resolução CNE/CES nº 10, de 16/12/2004, que institui as Diretrizes Curriculares nacionais para o curso de Graduação em Ciências Contábeis, o que mudar?”

CFC, Fenacon e Ibracon pedem à Caixa Econômica soluções para problemas com o Conectividade Social ICP V2

O Conselho Federal de Contabilidade (CFC), a Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Fenacon) e o Instituto de Auditoria Independente do Brasil (Ibracon) enviaram um ofício conjunto ao presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Duarte Guimarães, para tratar das dificuldades envolvendo o Conectividade Social ICP V2. No documento, as entidades pedem ao órgão providências para solucionar o problema de acesso ao Conectividade Social ICP V2. No texto, ainda é solicitada a prorrogação da validade da versão do Conectividade Social ICP V1, até que a V2 esteja funcionando adequadamente. O Ofício n.º 533/2022 CFC-Direx foi encaminhado à CEF da tarde desta terça-feira (24).

No documento, é informado que, desde o dia 16 de maio de 2022, quando a plataforma do Conectividade Social ICP V2 se tornou obrigatória, para os envios dos arquivos da SEFIP extemporâneos (anteriores a 1° de janeiro de 2022), o CFC vem recebendo inúmeras manifestações dos profissionais da contabilidade. Entre as situações mencionadas pela classe contábil estão: problemas na conexão com o banco de dados, lentidão na transmissão do arquivo, instabilidade, dificuldade de estabelecer conexão com o banco de dados, acesso ao programa, dentre outros. Segundo o texto, essas adversidades têm impactado tanto usuários já cadastrados na base quanto os novos.

A plataforma Conectividade Social foi desenvolvida pela Caixa Econômica com a finalidade de proporcionar a comunicação segura dos empregadores e o trânsito dos arquivos com dados dos empregados, em especial os contidos na folha de pagamento e o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), com a instituição bancária gestora do FGTS.

Fonte: Comunicação CFC

O ISSB apresenta as ações necessárias para fornecer orientação global para divulgação de sustentabilidade

A orientação global para relatórios de sustentabilidade no setor privado e no setor público ainda não avançaram da mesma forma.  Este avanço é indispensável para trazer a transparência e a comparabilidade necessárias às atividades governamentais para o setor público.

International Sustainability Standards Board (ISSB) da Fundação IFRS apresentou, no dia 18 de maio, os passos necessários para estabelecer uma orientação global abrangente para as divulgações de sustentabilidade. Essa orientação do ISSB apresenta uma oportunidade única para reduzir a fragmentação existente e ainda maior dos requisitos de divulgação de sustentabilidade. O uso generalizado dessa orientação global reduzirá os custos para os preparadores de dados e vai melhorar a usabilidade das informações para os usuários dos dados.

A pretensão do ISSB é ter concluído o trabalho de definição das normas institucionais e técnicas necessárias para estabelecer os elementos centrais da orientação global até o final de 2022, a depender do feedback recebido da consulta pública em andamento.

O trabalho para estabelecer a orientação global foi bem recebido pelo G7, G20, pela Organização Internacional das Comissões de Valores Mobiliários (IOSCO, na sigla em inglês), pelo Conselho de Estabilidade Financeira e por empresas e investidores de todo o mundo.

A implementação da orientação global exigirá a ação de outros, incluindo autoridades públicas e participantes do mercado, para contribuir com o desenvolvimento e para exigir ou incentivar o seu uso generalizado. O ISSB está pronto para se engajar de forma proativa à medida que as jurisdições e outras partes interessadas iniciam sua avaliação das normas do ISSB – Normas de Divulgação de Sustentabilidade da IFRS.

Implementando a orientação global

A colaboração internacional no desenvolvimento da orientação global é essencial para criar um sistema de divulgação que possa ser implementado globalmente, resultando em uma abordagem consistente em todos os mercados. A atual consulta sobre as normas propostas pelo ISSB oferece uma oportunidade para que as jurisdições contribuam para o desenvolvimento de normas de alta qualidade aos mercados de capitais.

O ISSB está preparado para trabalhar em estreita cooperação com as jurisdições que estão consultando, ou planejam consultar, sobre suas exigências do mercado de capitais para divulgação de informações sobre sustentabilidade através de um grupo de trabalho dedicado e inclusivo. Conforme este trabalho se desenvolve, o ISSB dará atenção especial às necessidades das economias emergentes e em desenvolvimento, bem como das empresas de pequeno e médio porte e outras dentro de cadeias de fornecimento globais, reconhecendo os desafios adicionais enfrentados por tais empresas na aplicação dos requisitos de divulgação de sustentabilidade.

A orientação global desempenhará um papel vital na construção da confiança e da transparência necessárias para fomentar a estabilidade econômica e contribuir para a transformação de sistemas econômicos, sociais e ambientais sustentáveis e para uma transição justa para um futuro melhor.

Movido pela demanda

O ISSB foi estabelecido em novembro de 2021, na conferência climática COP26, em resposta à forte demanda das autoridades públicas e dos participantes do mercado por divulgações de sustentabilidade de alta qualidade e globalmente consistentes que permitam aos investidores avaliar os riscos e as oportunidades relacionados à sustentabilidade ao tomar decisões de investimento e avaliar o valor da empresa. Ministros das Finanças e Governadores de Bancos Centrais de mais de 40 jurisdições em seis continentes receberam oficialmente o anúncio do ISSB e seu programa de trabalho para desenvolver um conjunto de normas internacionalmente consistentes, de alta qualidade e confiáveis para a divulgação de informações relacionadas à sustentabilidade.

A orientação global, incorpora e protege o patrimônio das normas existentes de divulgação de informações sobre sustentabilidade focadas no investidor, incluindo os da Task Force sobre Divulgações Financeiras Relacionadas ao Clima (TCFD, na sigla em inglês), do Climate Disclosure Standards Board (CDSB, na sigla em inglês), das Normas Sasb, dos Relatórios Integrados e das métricas do Fórum Econômico Mundial.

Progresso significativo em direção à orientação global

Desde o anúncio da COP26, foram feitos progressos consideráveis tanto nos arranjos institucionais do ISSB quanto no trabalho técnico.

Em nível institucional, os curadores da Fundação IFRS nomearam Emmanuel Faber e Sue Lloyd para servir como presidente e vice-presidente, respectivamente, do ISSB, com Janine Guillot atuando como assessora especial. Outras nomeações estão em andamento, esperando-se que o conselho atinja o número necessário de membros para iniciar seu trabalho até o final do segundo trimestre de 2022, esperando-se que o conselho completo esteja em funcionamento durante o terceiro trimestre de 2022.

A Fundação IFRS anunciou acordos para estabelecer as principais localidades da ISSB em Frankfurt e Montreal, com o trabalho em andamento para estabelecer-se também na Ásia. A consolidação do CDSB na Fundação IFRS foi concluída em janeiro de 2022, enquanto a consolidação da Value Reporting Foundation (sede da Sasb Standards e Integrated Reporting) deve ser concluída até o final de junho de 2022.

Além disso, a Fundação IFRS firmou um acordo de cooperação com a Global Reporting Initiative (GRI, na sigla em inglês) para reduzir a carga de relatórios para jurisdições e empresas ao combinar a linha de base global do ISSB e as exigências de relatórios de sustentabilidade de múltiplas partes interessadas da GRI. A cooperação do ISSB e de outras iniciativas, como a Task Force on Nature related Financial Disclosures (TNFD, na sigla em inglês) também é importante.

Saiba mais aqui.

Fonte: site da Fundação IFRS.

Dia D do ensino de Ciências Contábeis. País discute mudanças nas diretrizes curriculares do curso de Ciências Contábeis.

No próximo dia 24 de maio, ocorrerá ampla discussão, em todo o País, promovido pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC), em torno da minuta propositiva de alteração da Resolução CNE/CES nº 10, de 16 de dezembro de 2004, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado, e guia as Instituições de Ensino Superior (IES) brasileiras.
A minuta foi elaborada a partir de contribuições das IES, coordenadores e professores do curso de Ciências Contábeis dos 27 estados da federação, por meio dos Conselhos Regionais de Contabilidade, levando em conta a necessidade de adequação do curso de graduação em Ciências Contábeis à nova realidade do mercado. O documento está disponível para contribuições na plataforma Participa + Brasil.
O Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul (CRCRS) estará propondo debates em torno do tema, das 9h às 11h, de forma on-line, pela plataforma Teams, com transmissão pela TV CRCRS no Youtube.
Desde o surgimento do curso de Ciências Contábeis (1945), não havia uma discussão tão ampla e abrangente sobre a matriz curricular do curso de Ciências Contábeis como esta que está sendo promovida pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC). O objetivo é reunir as contribuições da comunidade contábil e encaminhar ao Ministério da Educação (MEC) ainda no primeiro semestre de 2022.
Para o professor Marco Aurélio Barbosa, vice-presidente do CRCRS, essa é uma das maiores manifestações sobre mudanças nas diretrizes curriculares do curso de Ciências Contábeis propostas ao Ministério da Educação (MEC). Ao longo da história recente, é a primeira vez que o MEC abre essa possibilidade ao CFC – resultado do esforço conjunto do Conselho e Academia Brasileira de Ciências Contábeis. Por isso, é importante a participação da comunidade contábil nessa discussão.

Sugestões para a proposta que está em Audiência Pública até o dia 31 de maio, deverão ser encaminhadas para o link https://www.gov.br/participamaisbrasil/proposta-de-resolucao-oriunda-do-conselho-federal-de-contabilidade.

Gabarito preliminar das provas objetivas do Exame de Suficiência já está disponível

Os candidatos da primeira edição de 2022 do Exame de Suficiência do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) já podem consultar o gabarito preliminar da prova. Para isso, basta acessar o site da Consulplan, banca do exame. As avaliações foram aplicadas no dia 15 de maio, em 118 cidades do país, em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal (DF). Ao todo, mais de 33 mil pessoas participaram do certame. O exame é um dos requisitos para a obtenção de registro profissional em Conselho Regional de Contabilidade (CRC).

Os interessados em interpor recurso contra o gabarito preliminar da prova objetiva terão dois dias para isso. O prazo será da 0h do dia 17 de maio às 23h59 da quarta-feira (18). O recurso deve ser encaminhado por meio de requerimento próprio disponibilizado na página da Consulplan na internet.

De acordo com o edital do Exame de Suficiência, o sistema da Consulplan aceitará apenas um recurso por questão de cada examinando, que deverá ter, no máximo, 5 mil caracteres. Após envio do documento, o sistema vai gerar um número de protocolo de confirmação de envio, que será válido como comprovante de interposição do recurso.

As mudanças no gabarito que ocorram em função do deferimento dos recursos serão divulgadas na página da banca. As respostas referentes aos recursos contra o gabarito preliminar e o resultado final preliminar serão divulgados até 30 dias após a aplicação das provas.

Para acessar a página da Consulplan, clique aqui.

Fonte: Comunicação CFC

Procuração digital para acesso ao e-CAC já pode ser outorgada diretamente pelo e-CAC

Cidadãos com conta gov.br prata ou ouro podem autorizar automaticamente o acesso por terceiros.

A partir de hoje, 16 de maio, cidadãos que possuam uma conta gov.br com nível prata ou ouro poderão outorgar (passar) uma procuração digital diretamente pelo e-CAC, para que outra pessoa, que possua certificado digital, acesse os serviços digitais da Receita Federal em seu nome.

Com a nova funcionalidade o cidadão, pessoa física, não precisa mais emitir a solicitação, assinar, reconhecer firma e protocolar um processo. Basta acessar o e-CAC com a sua conta gov.br e utilizar o serviço “Procuração Eletrônica”. A aprovação da procuração é feita na hora, de forma automática.

Para empresas e outras pessoas jurídicas, o sistema ainda exige certificado digital (e-CNPJ) e, portanto, os responsáveis que não dispõe do recurso devem recorrer ao fluxo acima descrito: emissão da solicitação de procuração, assinatura com firma reconhecida e protocolo de processo digital. O acesso pelo outorgado (quem recebe os poderes para atuar em nome do contribuinte) também precisa ser feito com certificado digital.

Clique aqui para saber mais sobre a procuração digital para acesso ao e-CAC.

Fonte: Receita Federal do Brasil

CRCRS participa de reunião do Conselho de Desburocratização e Empreendedorismo do RS

O vice-presidente de Fiscalização do CRCRS, Juliano Abadie, participou, em 13 de maio, na 30ª reunião do Conselho Estadual de Desburocratização e Empreendedorismo do RS (Cede), que avaliou os indicadores de desenvolvimento econômico do Estado, em especial, em relação ao Fundopem, à RedeSim e ao Tudo Fácil Empresa.

Vice-presidente de Fiscalização do CRCRS, Juliano Abadie (esq.), na 30ª reunião do Cede

Além do secretário de Planejamento, Governança e Gestão do Estado, Claudio Gastal, presidente do Cede, que conduziu o encontro, em formato híbrido, participaram representantes de secretarias e demais órgãos governamentais estaduais e da prefeitura de Porto Alegre; da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs); do Sebrae-RS; de entidades profissionais, entre as quais o Sescon-RS, na pessoa do seu presidente, contador Flávio Ribeiro Jr.; e, também, conselheiros do Cede e convidados.
O Conselho de Desburocratização e Empreendedorismo do RS é uma iniciativa pioneira no País, composto por sete secretarias do Estado e sete representantes da sociedade, com o objetivo de simplificar e melhorar os serviços prestados pela administração pública estadual, tanto para a pessoa física quanto para o empreendedor.
O CRCRS integra o Cede como convidado permanente, com vistas a colaborar para a melhoria do ambiente de negócios, por meio do conhecimento técnico dos profissionais da contabilidade, visando favorecer a competitividade e o desenvolvimento nos municípios, por meio do empreendedorismo.

Exame de Suficiência: mais de 33 mil pessoas realizaram a prova neste domingo (15)

O Conselho Federal de Contabilidade (CFC) realizou, neste domingo (15), a primeira edição do Exame de Suficiência de 2022. Mais de 33 mil candidatos realizaram a prova que foi aplicada, presencialmente, em 118 cidades do Brasil.

Foram 131 locais de prova, que juntos, somaram 1.679 salas de aplicação do exame. Segundo a banca responsável pelo certame, a Consulplan, aproximadamente 19,17% dos inscritos não realizaram a prova.

A aprovação no certame é um dos requisitos para a obtenção de registro profissional em Conselho Regional de Contabilidade (CRC). O Exame de Suficiência 1/2022 foi composto por uma prova objetiva, de múltipla escolha, na modalidade presencial.

O gabarito preliminar da prova será divulgado nesta segunda-feira (16). Acompanhe AQUI.

Fonte: Comunicação CFC

Obs.: INTERPOSIÇÃO DE RECURSO
Os candidatos que não concordarem com o gabarito preliminar terão das 0h de 17/5 às 23h59 de 18/05/2022 para apresentarem os recursos.
No Rio Grande do Sul, foram inscritos 1.504 candidatos, a aplicação da prova ocorru em 11 cidades, com ausência de 319 examinados.
O CRCRS realizou ações de recepção aos candidatos nos locais de prova.