CRCRS realiza Seminário “A Destinação do IR: Importância, Legislação, Transparência e Operacionalização”

O vice-presidente de Relações Institucionais, Celso Luft, representou a presidente do CRCRS, Ana Tércia L. Rodrigues, no Seminário “A Destinação do Imposto de Renda: Importância, Legislação, Transparência e Operacionalização”, realizado em 20 de novembro, fruto de parceria entre o Conselho, por meio de sua Comissão de Estudos de Responsabilidade Social, e a Famurs. Na cerimônia de abertura, o superintendente de Relações Institucionais da entidade, Luiz Gustavo de Souza, representando o presidente da entidade, Antônio Cettolin, saudou os presentes e destacou a importância da destinação de parte do IR devido para projetos sociais como forma de aliviar os cofres das prefeituras.

A partir da esquerda: Lenara Balin, presidente do Coegemas; Jussara Rauth, presidente do CEI/RS; Maria Helena Sartori, secretária de Estado do Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e dos Direitos Humanos; Jussara Vendruscolo, representante da SDSTJDH; Luiz Gustavo de Souza, superintendente de Relações Institucionais da Famurs; e vice-presidente de Relações Institucionais do CRCRS, Celso Luft

O vice-presidente Celso Luft salientou a proximidade do CRCRS com os municípios, por meio de seus delegados regionais, e falou da importância do papel desempenhado pelos profissionais da contabilidade, que incentivam e orientam seus clientes para destinarem os recursos do IR devido aos Fundos da Criança e do Adolescente e Fundos do Idoso.

Celso Luft, vice-presidente de Relações Institucionais

A secretária de Estado de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos, Maria Helena Sartori, ressaltou a contribuição do CRCRS, do Sescon-RS e da Famurs com a Campanha Escolha o Destino, do governo do RS. Segundo ela, são os profissionais da contabilidade que dão segurança aos contribuintes para que determinem o destino de parte do IR devido e, dessa forma, têm feito avançar o percentual de recursos que permanece nos municípios, em projetos sociais que melhoram a qualidade de vida de crianças, adolescentes e idosos. Contudo, ela alertou que o total de recursos ainda está muito aquém do potencial de destinação, que é de R$ 400 milhões ao ano – ao longo dos últimos três anos foram destinado, no RS, apenas R$ 40 milhões.

Maria Helena Sartori, secretária de Estado de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos

No painel “O potencial e a importância da destinação do IR”, a contadora Silvia Grewe, da Comissão de Estudos de Responsabilidade Social do CRCRS, explicou que, até o dia 26 de dezembro de 2018, os contribuintes pessoa física que fazem a declaração do IR no modelo completo podem destinar até 6% do imposto devido sobre o ano-base 2018 às entidades cadastradas nos conselhos municipais da crianpa e do adolescente e conselhos do idoso. As pessoa jurídicas que apuram o IR devido pelo lucro real podem destinar até 1% para o Funcriança e 1% para o Fundo Idoso. Para mais informações, peça a orientação do seu profissional da contabilidade. Ele está apto a orientá-lo com segurança.

Silvia Grewe, integrante da Comissão de Estudos de Responsabilidade Social do CRCRS

“Embasamento Legal e Potencialidade de Arrecadação” foi o tema da palestra do contador José Carlos de Mello, que também integra a Comissão de Estudos de Responsabilidade Social do CRCRS. Ele orientou os presentes sobre a forma de cadastramento dos fundos para que se habilitem a receber os repasses por parte dos contribuintes que fazem a destinação.

José Carlos de Mello, integrante da Comissão de Estudos de Responsabilidade Social do CRCRS

Cerca de cem pessoas, entre prefeitos, gestores dos fundos da criança e do adolescente e fundos do idoso, representantes das áreas administrativa e fazendária das prefeituras e conselheiros dos fundos, participam do Seminário, que prossegue nesta tarde, no Auditório da Famurs.

Cerca de cem pessoas participam do Seminário