Questões de sustentabilidade do planeta e o papel dos contadores são discutidos em painel

As responsabilidades dos profissionais da contabilidade, em relação ao processo global de integração de informações contábeis às de natureza “pré-financeiras” em relatórios corporativos, foram destacadas pelos palestrantes José Luis Lizcano Álvarez e Vania Borgerth, no painel Relato Integrado, Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e os Indicadores de Sustentabilidade.

José Luis Lizcano Álvarezpainelista | Fotos: Jackson Ciceri/CIC-CCRS

Realizado na manhã desta quinta-feira (21), durante a XXXIV Conferência Interamericana de Contabilidade (CIC) e XVIII Convenção de Contabilidade do Rio Grande do Sul (CCRS), o painel foi moderado pela conselheira do CFC Ticiane Lima dos Santos.

Ticiane Lima dos Santos, moderadora, e Vania Boghert

“A sustentabilidade do planeta não é apenas uma questão de políticas de governo ou de estratégia de empresas, mas algo que deve ser compromisso de toda a sociedade”, afirmou Vania, destacando a capacidade técnica dos profissionais da área contábil para assumir esse papel: “Nós somos agentes de transparência do mercado”.

Membro do Grupo de Trabalho (GT) do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) que elaborou a minuta da NBC CTG 09 – Correlação à Estrutura Conceitual Básica do Relato Integrado, Vania é coordenadora da Comissão Brasileira de Acompanhamento do Relato Integrado e possui ampla participação internacional em entidades reguladoras da área.

Para a palestrante, os contadores são os profissionais que melhor sabem reportar as informações corporativas, transmitindo confiabilidade, responsabilidade, evidenciação e transparência. “Estamos acostumados a olhar para informações econômicas, dando pouco valor às questões sociais, ambientais e de governança, mas se tornou essencial também prestar atenção aos itens da Agenda ESG”, afirmou.

Vania destacou ainda que, com o avanço dos entendimentos globais em torno dos relatórios de sustentabilidade e, especialmente, com a criação do International Sustainability Standards Board (ISSB) pela Fundação IFRS – International Financial Reporting Standards (IFRS), esse tipo de relatório corporativo deverá se tornar obrigatório em futuro breve.

O outro palestrante do painel, José Luis Lizcano Álvarez, diretor gerente da Asociación Española de Contabilidad y Administración de Empresas (AECA), apresentou, de forma virtual, informações de entidades internacionais da classe e diversas iniciativas que estão sendo desenvolvidas no sentido de padronizar informações corporativas relevantes para a tomada de decisões, considerando os impactos ambientais, sociais e de governança.

Por Maristela Girotto
Comunicação CFC