CRCRS lança Campanha Imposto Solidário #irpf 2022

A campanha de Imposto de Renda 2022, com foco na destinação de parte do IR aos fundos da criança e do adolescente e ao fundo do idoso foi lançada, na tarde de 6 de abril, pelo presidente Márcio Schuch Silveira, em webinar que contou com as participações do conselheiro Celso Luft e do coordenador da Comissão de Estudos do Voluntariado, Gerson Santos.
Nesse período, os profissionais da contabilidade transformam-se em potenciais agentes sociais, capazes de colaborar na melhoria das condições de vida de muitas pessoas de suas respectivas comunidades, incentivando e orientando o contribuinte a destinar os recursos para sua cidade, sem nenhum ônus.
O webinar teve como objetivo sensibilizar a classe contábil para que se engajem na campanha e busquem a cada ano aumentar o número de contribuintes que direcionam parte do seu IR aos fundos. Para tanto, a exigência é de que a declaração seja feita no modelo completo e a destinação pode ser efetuada por quem tem imposto a pagar, em qualquer ônus, ou a restituir. Nesse caso, o contribuinte paga a guia na instante da declaração e recebe, posteriormente, o valor corrigido pela Taxa Selic.
Márcio, lembrou que a prorrogação do prazo de entrega de declaração para final de maio proporciona mais tempo para intensificar a campanha.
“Queremos melhorar o desempenho na arrecadação para os fundos no RS. Temos um potencial bem maior do que vem sendo arrecadado. Precisamos sensibilizar os contribuintes. Nós, profissionais da contabilidade, temos um papel fundamental na sociedade, podemos contribuir muito com o nosso conhecimento. Essa é uma oportunidade de incidir de forma efetiva, incentivando a destinação, que é um ato simples, sem ônus e oportuniza aplicar os recursos no nosso Estado ou no município”, afirmou o presidente do CRCRS.

O coordenador da Comissão de Estudos do Voluntariado, Gerson Santos, utilizou o termo de pertencimento para definir o posicionamento dos profissionais da contabilidade diante da campanha, lembrando o espírito de cidadania que deve tomar conta de todos, nesse momento. 

“É muito importante que se entenda que existe uma teia social em torno da destinação do imposto de renda, que envolve legitimidade, credibilidade e confiança, visibilidade, prestação de contas e a sustentabilidade”, declarou Gerson

A explicação mais técnica referente à operacionalidade e procedimentos a serem seguidos na hora da destinação ficou a cargo do conselheiro Celso Luft, que apresentou um passo a passo, bem didático, lembrando que nesse momento só é possível destinar o limite de 6% do IR, sendo 3% para o Funcriança e 3% para o Fundo do Idoso. Apontou ainda algumas facilidades que foram implantadas este ano, como o código de barras na Darf para destinação, que até o ano passado não existia. Aliás, frisou que foi uma solicitação do CRCRS à Receita Federal do Brasil.

Em 2020, o potencial de arrecadação do Estado era de mais de 500 milhões e foram destinados pouco mais de 16 milhões; já em 2021, o potencial era de R$527.621.300,83 e foram arrecadados R$23.146.267,43 para as entidades. A intenção e o foco da campanha é aumentar as destinações a cada ano.

Celso desmistificou a ideia de que aqueles que destinam recursos a entidades caem na malha fina. “Isso não existe. Eu garanto. Estamos em contato direto com a Receita Federal”.

Consta no site do CRCRS, material com informações, esclarecimentos e orientações necessárias sobre a destinação do Imposto devido aos fundos.

Clique https://bit.ly/3JfcCNp e assista ao webinar de lançamento